12 de abr de 2011

Juventude

Dias desses estava ouvindo uma conversa entre duas jovens, uma delas mal tinha completado 18 anos e já estava no “segundo” casamento. Ela narrava como estava se sentindo mal, depois de ter ido a uma boate na segunda-feira, para provocar o marido e ter bebido todas, a ponto de não se lembrar de como havia chegado em casa.

Durante a conversa, contou suas peripécias amorosas, namoro com traficantes e chefes de boca de fumo e que todas as suas saídas eram regadas a muito uíque e vodca. Eu ouvia aquilo tudo e pensava: acho que nunca fui jovem, já nasci velha.
Com todos os problemas que meu pai deu a minha mãe, como contei  no  post anterior, desde muito cedo eu decidi que seria uma filha exemplar. Minha mãe deu muito duro, mas duro mesmo, para criar meu irmão e eu. Meu pai era trabalhador, mas viveu vários períodos de desemprego. Então sobrava para minha mãe, que era manicure desde os 12 anos de idade, ajudar no sustento da família, principalmente nas "futilidades".
Era graças a ela que eu tinha sempre uma roupinha nova,  dinheiro para comprar merenda na escola e pegar o ônibus sem precisar fazer o trajeto a pé, comer biscoito e tomar iogurte, comprar figurinhas para meu álbum de artistas e encher minha pasta de papel de carta.
Eu nunca precisei sair da escola para trabalhar ou estudar a noite e trabalhar de dia. Com seu dinheiro pingado, minha mãe me garantiu uma boa qualidade de vida e em troca, eu fazia todo o serviço da casa.
Era ótima aluna e não lhe trazia qualquer aborrecimento. Eu tinha toda a liberdade de sair para as noitadas e dormir fora, mas nunca abusei. Nunca fumei, nem bebi e usar drogas nem pensar. Também nunca lhe trouxe problemas por conta de namorados.
Eu tenho duas conhecidas de 20 anos, uma tem 3 filhos e a outra um. E vivem dizendo que se pudessem voltar a atrás fariam diferente, se tivessem a cabeça que tem hoje, se fossem mais jovem agora...
Mas elas só tem 20 anos!!! Agora que deveriam estar começando a vida e já acham que viveram tanto e pior erradamente. Se arrependem de tudo que fizeram ou deixaram de fazer, dos filhos não planejados, dos estudos inacabados.  Em agosto eu farei 35 anos e me sinto muito bem. Não me sinto cansada, nem com o peso do mundo nas costas, ou achando que tudo que fiz foi errado.
Na verdade me sinto bem jovenzinha, cheia de frescor e vontade de viver.Eu optei por não fazer algumas coisas e elas jamais me fizeram falta. Eu não quis ser adolescente rebelde e hoje acredito que colho os frutos por isso. 
 Foi bom para os meus pais, que nunca ficaram de cabelos em pé comigo e melhor ainda para mim. Aproveitei tudo de bom que a fase jovem tem a oferecer, a vida despreocupada e cheia de sonhos. Os amores platônicos. As baladas regadas a  refrigerante. Os romances de Júlia, Sabrina e Bianca. As primeiras descobertas. As primeiras decepções.
Sim, eu fui jovem.

23 comentários:

  1. Belo depoimento Paula!

    Tive uma infância pobre, mas muito justa e feliz. É muito bom essa sensação de colocar a cabeça no travesseiro e dormir o sono dos justos. Por ser a mais velha as vezes tenho essa sua mesma sensação... Li também muitos romances, e quase toda Biblioteca das moças, capa verde, maioria de autores americanos inclusive "Mulherzinhas" que virou filme...

    Um fim de tarde luz p/ vc.

    Beijooooooooo

    ResponderExcluir
  2. Essa jovem decididamente não tem vida.... :( Que desperdicio.

    ResponderExcluir
  3. Oi Paula, também me assusto com a juventude de hoje, tenho 22 anos, estou no topo da vida, onde posso realizar todos os meus sonhos, e me considero inexperiente, sei que vou errar muito para aprender muito também. E escolhi também viver tudo isso conscientemente, namorar na época certa, viver tudo no período certo. E quero chegar aos 35 como você, me sentindo ainda no topo da vida!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Paula, acho careta ser moderno demais como essa juventude está rsrsrs
    Essa coisa de querer agredir, de querer fazer o que der na telha. Sempre tive respeito pela minha mãe. Meu pai é um caso a parte, mas o respeito sim.
    Acredito muito nessa qualidade de educação.
    Crianças criando crianças é muito difícil.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oii, minha juventude foi como a sua.. regada a muito amor platônico, algumas decepções, idas aos shopping para ver vitrine e tomar sorvete co ma amigas e com os romaces julia, sabrina e bianca ( li os vanessa também)sempre por perto!!!rss
    Os jovens de hoje são muito diferentes.... são até esquisitos... que um exemplo: onde já se viu preferir passar horas no computador ou no videogame do que sair para dar boas risadas com os amigos?

    beijuu
    www.sermulhereomaximo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Meninas, a juventude dura a vida toda se a gente quiser! Juventude de cabeça boa e não de corpo.
    A maioria da garotada está fazendo tudo errado, não dão valor à vida. Tanta gente querendo viver bem e não pode, por motivos de doenças. E que é saudável está estragando tudo, sem noção.
    Meninas novinhas "fazendo gente", é engravidar é isso, fazer gente! Põe no mundo e larga, isso não é justo. Meninas novinhas já "casaram" com vários e tiveram filhos de vários. E estão sózinhas. Como fazer para melhorar o mundo?
    Fica a pergunta ...............
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que texto lindo!!!

    Eu tb fui jovem, aproveitei tudo que tinha que aproveitar sem deixar ninguem preocupado. Aproveitei minha vida muito bem, sem grandes bebedeiras, sem exageros. Com 20 anos, eu estava conhecendo meu marido, ainda ia em baladas e sempre fui super responsavel.

    Graças a Deus eu tenho minha consciencia tranquila, meus pais me acham super responsaveis e me dão apoio em qqr decisão, pq sabe que eu nunca faria nada para magoa-los.

    Eu tb fui jovem, tb vivi e graças a Deus, com 20 anos eu ainda tava curtindo minha juventude, e hoje casada com 26 anos sei que posso ter um filho tranquila que nunca jogarei nada nas costas dele.

    Beeeijos, e seu texto arrasou viu!!!!

    noobhousewife.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Paula!!
    Escuto muito dessas conversas no trajeto de casa para o trabalho e as vezes me espanto com as coisas que ouço, não sei explicar é quase que uma angustia, ver que alguns adolescentes e jovens "aproveitam" a juventude de forma tão desajeitada, acelerada, sem limites...
    Mil beijos...

    ResponderExcluir
  9. Muito boa a sua reflexão, Paula. Na verdade acho que não fomos nós que nunca fomos jovens, mas estas meninas que querem ser mais velhas do que são. E não sabem viver e aproveitar a liberdade que têm, porque não têm maturidade para isso. Acredito também que este excesso de liberdade e nenhum cuidado dos pais seja um grande motivador. Porque tudo agora é normal, o que resulta em adultos cheio de problemas, sequelas e arrependimentos. Uma pena! Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Paulinha tudo be?

    Parabens otimo texto!!!

    Nossa sua mae foi uma grande gerreira hein!!

    E realmente as coisas estao muito bagunçadas.

    Tudo muito banalizado ,nao tem romantismo as pessoas mal se conhecem e ja vao pra cama.

    E fico passada com essa juventude ,conheço uma menina que tem apenas 19 anos ja casou separou
    tem filho e nao sai de casa, mas conhece os caras pela internet e tras pra morar junto com o filho de 3 anos e a familia (pai)a mae mora separado.Nem sabe se o cara e um tarado ,pisicopata sei la.

    E quando ela enjoa ,simplismente dispensa e pocura outro e assim a fila vai andando.E eu que achava que estava desatualizada rsrsrs.Mas ainda bem que encontro pessoas que penssam como eu.
    bjs querida

    ResponderExcluir
  11. Eu fiz muito loucura na minha vida! Fui devassa ao extremo, fiz muita coisa errada, ainda bem que não resultou em filhos indesejados, acho que isso sim seria um erro de grandes consequências. Acho que filho tem que ser deejado e amado.

    No entanto acho que tudo isso me fez ser a pessoa mais centrada que sou hoje! Não sinto o peso da minha fase negra, olho para ela como fonte de aprendizado!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  12. Paula, amiga, tb acho que já nasci velha. Nunca tive essa fase "vida louca", e sempre tive liberdade em casa, como a sua, minha mãe tb deu duro, meu pai nem tanto...mas tb vivo tranquila e se tivesse que voltar atrás, acho que faria as coisas bem parecidas...beijos!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Eu fui muito boazinha assim como vc.. no entanto, sinto que poderia ter vivido mais, ter cometido mais loucuras.. tenho 30 anos e acho que não vivi coisas que uma pessoa de 20 anos vive hj.. tive medos.. aí hj me sinto meio incompleta... :(

    ResponderExcluir
  14. Lindíssimo depoimento! Tiro meu chapéu para sua mãe e outro para você que demonstra com essa atitude que ainda existe esperança de pessoas, mesmo humildes, terem frutos do bem. Terem frutos doces e cheios de sabor! Não precisam ter tudo. Basta ter o suficiente para saberem que estarão sempre bem! Parabéns menina! E te chamo menina, pois te vejo como uma linda menina madura e cheia de si! Orgulhe-se sempre do que é! Sua mãe fez um ótimo trabalho! Grande beijo.

    ResponderExcluir
  15. Paulinha, ótimo depoimento... temo muito pelo futuro da minha filha, está tudo muito precoce hoje em dia...aff... procuro ensinar para meu bb valores perdidos nos tempos de hoje, não me importo que me chamem de antiquada, porque o que me importa é: Como será o futuro da Daphyne.

    Vamos ver no que vai dar, às vezes os pais ensinam tudo aos filhos e estes não dão ouvidos né, espero que não seja meu caso...rsrsrs

    Quanto ao meu post: cada ato do meu furacão lembro do Marley mesmo... estabanada igual a ele, ótimo livro e filme...beijos

    ResponderExcluir
  16. Paula,
    o que me assusta e elas estarem sempre muito próxima do perigo (drogas, traficantes), e da inconsequência que resulta em outros seres humanos. Fui jovem e certamente fiz a minha cota de loucuras (abusar de bebidas, ir a lugares mal-afamados, mas sempre em turma e etc). Mas sempre tive o cuidado de andar com pessoas iguais a mim em educação e correr bem rápido quando via drogas no ambiente. E camisinha e pílula existem desde a década de 60. No mundo de hoje, cheio de informações, não se concebe alguém ter três filhos antes dos 20 anos, um é um erro que qualquer um pode cometer, dois ou três é burrice mesmo.
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  17. Oi Paula
    Concordo contigo.... e acho q tbm já nasci velha hehehe
    Bjokas

    ResponderExcluir
  18. PAULA QUERIDA..
    OBRIGADA POR SEMPRE ESTAR POR LA TA?
    ADORO VER VOCE LA ..

    PAULA EU TAMBEM ..EU TENHO 3 IRMÃS ERAMOS 4 FILHAS MEU PAI MINHA MÃE..NOS DEPOIS DOS 16 NOS SEMPRE TRABALHAMOS ..EM LOJAS ESCRITORIOS BANCOS..MAS MEU PAI NUNCA QUIS SABER DO NOSSO DINHEIRO ..ERA PRA NÓS E ELE AINDA AJUDA EU POR EXEMPLO PAGAR A FACULDADE SRSR SRSR ...MAS FOMOS FILHAS BOAS..NOS DEMOS AQUELES TRABALHOS ASSIM DE FICAR CHATA NUMA CERTA EPOCA DA VIDA ..MAS SEMPRESOUBEMOS RESPEITAR E DAR VALOR NOS NOSSOS PAIS NOSSA CASA AVÓS E FAMILIA..A GENTE SAIA TAMBEM MAS NENHUMA SE DROGOU FUMOU BEBEU ...HOJE EU GOSTO DE UMA SKOLZINHA MAS SO FINAL DE SEMANA COM MARIDO ..E PRONTO SRSR NA MINHA CASA ..TUDO ERA MUITO CERTO ..ALMOÇAVAMOS JANTAVAMOS ...DOMINGO ALMOÇO ERA SAGRADO TODAS JUNTAS..E ASSIM ERA MINHA JUVENTUDE TAMBEM NUNCA DEMOS VERGONHA A MEUS PAIS...
    MEUS FILHOS TAMBEM SÃO ASSIM GRAÇAS A DEUS

    E ESSAS SUAS AMIGAS E DE DAR PENA NÉ? AINDA NOVAS ..DAQUI A UNS 20 ANOS AI ELAS VÃO VER A VONTADE VOLTAR NO PASSADO..E VAI SER TARDE DEMAIS..AGORA ESSE NEGOCIO DE BRIGAR COM MARIDO E IR FARREAR PRA BALADA...NOSSA E DIOU DIOUTRO MUNDO NÉ/ EU COM 25 ANOS DE CASADA COSTUMO DIZER QUE JAMAIS FAÇO ISSO ..NÃO ME REBAIXO AO NIVEL DESSES HOMENS E UM DIA QUE SEPARAR QUERO QUE MEU MARIDO PENSE NOSSA PERDI UMA GRANDE MULHER E NÃO QUE BOM LARGUEI UMA TRANQUEIRA SRSRS
    BJS QUERIDA
    ESSE É UM TROCO QUE SAI PERDENDO QUEM LEVA ELE SRSR SRSRSR


    OTILIA

    ResponderExcluir
  19. AH E IDADE EU DEVO SER COMO A TARTARUGA DEVO TER UNS 150 ANOS SRSS

    ResponderExcluir
  20. Paula, eu não serei pai. Assim Deus quis e assim será. E quer saber: nem reclamo! Cada vez mais eu me assusto com essa geração. Eu sou do tempo que fazer "arte" era, sei lá, quebrar uma vidraça com uma bola de futebol. Hoje envolve bebida, sexo e drogas. Por favor! Deus tenha piedade desses pais de hoje!

    Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  21. Aff... eu dei trabalho à minha mãe! Mas apesar disso, acho que era bem consciente do que queria e fazia, diferente dessa geração de hoje.

    Tem selinho pra você lá no meu blog: http://ktralhas.blogspot.com/

    Abraços

    ResponderExcluir
  22. Parabéns pela filha exemplar que foste!
    Tbm fui tranquila e não dei dor e cabeça a meus pais.
    Se bem que 16 anos foram em um convento, mas mesmo assim acredito que não seria diferente.
    Hoje tenho 42 anos não tenho filhos e sou bem casada.
    Bjos e bom domingo

    ResponderExcluir
  23. Sobre texto mais abaixo....Eu tb não sou muito família. Na verdade, tenho preguiça de ir na casa dos outros, quando saio, prefiro andar livre, sem me sentir preso a algum compromisso. Religião, acredito em Deus, mas na bíblia, não. Acho que foi escrita por homens, inspirada por homens, não por Deus, como dizem.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Ficarei muito feliz se quiser deixar seu comentário.