17 de jun de 2010

Dia dos namorados todos os dias


Passado o frenesi dos dias dos namorados, a aflição de comprar e receber o presente e o planejanmento da noite perfeita, menos de uma semana depois já não bate aquela nostalgia? Na noite do dia 12 de junho, saí para comemorar com meu marido e a impressão que se tinha era que todos os casais da cidade haviam tido a mesma idéia. Apesar da noite gelada, todos os cantinhos da cidade estavam abarrotados, colocando em risco o jantarzinho romântico. Haja amor e paciência para enfrentar tanta fila!

Me impressou a quantidade de casais na rua, conheço tantas pessoas solteiras, da onde saíram tantos pares!? Não tenho o hábito de fazer planejamentos, cansei de me frustar(o trabalho do marido não respeita fim de semana nem datas festivas) e por isso as coisas aconteceram naturalmente. E foi uma noite sublime! Parece que ele leu o mesmo roteiro que eu, ensaiou a peça direitinho e quando fomos para a ação nada deu errado. Desde que abri o s meus olhos pela manhã, até a hora em que fui dormi, tudo foi perfeito. Sintonia e sincronia de pensamento, demonstração de amor e carinho explícito e bom humor para enfrentar as adversidades daquela noite superpovoada.

De tão perfeito que foi o dia 12 de junho não paro de desejar que todos os dias seja dia dos namorados. Mas como fugir da rotina e ser eternos namorados? Esta não é uma tarefa fácil e acredito que seja o maior desafio entre os casais. São tantos os enfrentamentos do dia a dia, que no final da noite, a última coisa que pensamos é em romance. Quando nos damos contas, parece que estamos casados com um estranho, ou com um amigo. No primeiro caso, os casais já não tem nada em comum e se mantém juntos por uma ifinidade de razões, menos amor e romance. Já no segundo, os dois conversam sobre tudo, mas já não fazem amor e não pensam em romance. Vemos esses casos acontecerem à todo momento, mas como fazer diferente? Cada casal precisa achar a sua receita e como não poderia deixar de ser cabe a nós mulheres não deixar a paixão morrer. QUE TAL COMEÇAR AGORA:
  1. Jantarzinho inesperado (mesmo que seja na sua própria casa e a grana esteja curta) faça o prato preferido dele, arruma-se com capricho e surpreenda o amado.

  2. Faça ou peça uma massagem relaxante após um dia exautivo.

  3. Alugue DVDs, faça pipoca e assista juntinho aproveitando o friozinho.

  4. Caprichar no café-da-manhã e levar na cama.

  5. Ou ficar na cama e induzi-lo a levar o café para você. (A maioria dos homens não pensa e você terá que ajudá-lo nesta tarefa).

  6. Evitar palavras rudes;

  7. Evitar críticas e reclamações;

Contudo, não adianta nada se esforçar para agradar seu homem se você primeiro não se agradar. Faça por ele o que você já faz por si mesma e o que gostaria que ele fizesse por você. Tente demonstrar de forma clara, mas doce as coisas que lhe são importante. Não existe forma mais rápida e eficaz de afastar um homem do que reclamações e críticas incessantes. E não é isso que queremos não é meninas!? Agora, se você acha que já tentou de tudo e mais um pouco e na sua relação nunca é dia dos namorados, então talvez já seja a hora de tentar outro namorado...

9 de jun de 2010

Entrar "naquele" jeans com a dieta da ração humana

Certas coisas são próprias das mulheres e a insatisfação permanente com o corpo parece ser a principal delas. Temos ainda a insatisfação com o cabelo, com o guarda-roupa, com os homens... a lista é tão grande que as vezes penso "que bom seria ter nascido homem! A maioria "ainda" não tem as mesmas preocupações que a gente, mas não tem jeito! Há coisa mais irritante que gordurinha localizada!?
Se você coloca uma blusa mais coladinha, lá esta a danada fazendo questão se mostrar! Teima em escapulir pela barra das blusas, levantando as mesmas e sendo uma verdadeira estraga prazeres. E o que dizer na hora de sentar! Sem dúvida, gordura localizada não dá!
Dia desses, estava na fila do caixa do supermercado, esperando a minha vez quando meus olhos depararam com a revista Boa Forma, estampando uma escultural Fernanda Vasconcellos na capa. Uma matéria me chamou a atenção"Entre naquele jeans com a Dieta da Ração Humana.
Meu marido e eu já estavamos tomando a ração à cerca de um mês, começamos depois de assistir no Globo Reportér sobre os benefícios da mistura, mas o resultando ainda não haviam aparecido. A tal mistura prometia a perca de 4 a 8 quilo/mês e nada aconteceu!
Vendo a revista, fiquei morrendo de vontade de entrar "naquele" jeans, e aqui leia-se todos os jens, pois minhas saias, calças, bermudas e shorts estavam querendo explodir dentro de mim. Que transtorno era sentar. Claro, roupa apertada, fica ainda mais apertada na de sentar.
Naquele dia não comprei a revista, mas a Fernanda Vasconcellos não me saia da cabeça. Em outra oportunidade não resisti. Trouxe a Fernandinha para casa! Não tenho o hábito de comprar revistas de moda ou de dietas milagrosas, mas por que não? Tenho dois defeitos gravíssimos: adoro comer e detesto malhar!!!Conclusão: os qulilinhos extras estão ali, sempre rondando.
Como estava farta daquela situação, decidi descobrir o que estava fazendo de errado com a tal ração humana e coloquei mãos à obra. A revista ajudou bastante e me motivou a rever minha alimentação sem passar "muita" fome. Determinada, fui ao supermercado e comprei pão integral, requeijão, biscoito e iogurte light, (xô trakinas chocolate), queijo branco, verduras e legumes. Adaptei alguns cardápios da revista, diante das minhas posses e conveniências, e deu certo!Passei a comer apenas pão e torrada integral, abandonei o biscoito trakinas e os bolos, o prato continha mais verduras e legumes do que arroz e feijão e toda vez que batia a vontade de comer um docinho mastigava uma colher de granola.
A gula sempre foi o meu pecado mais recorrente e embora não coma grandes porções, parece que sinto fome o tempo todo! Segundo uma grande amiga tenho alma de gordo, embora não seja fisicamente. Admito que levanto de madrugada para assaltar a geladeira e a fome me acorda todas as manhãs.
Por isso, embora não esteja exatamente acima do peso, estava com uma barriguinha irritante, gordurinha localizada e as coxas muito grossas. Logicamente falta muito para chegar ao padrão da Fernanda Vasconcellos, cá pra nós, (nunca vou chegar), mas reduzir a quantidade de açucar realmente fez a diferença. Já estou entrando "naqueles"jeans e a barriguinha já está bem menos irritante. Agora até deixo a blusa subir um pouquinho...
Quanto a ração humana, além de virar uma vitamina gostosa, contém muitas fibras, é forte e um belo reforço para o café da manhã. Espero não desanimar e continuar comendo com mais saúde e sabedoria.


3 de jun de 2010

Acreditar em certas coisas

A idéia de começar este blog nasceu da vontade de trocar idéias e experiências com outras mulheres, compartilhar alegrias e tristezas cotidianas e neste processo preencher um certo vazio, agregando novos valores e quem sabe, viver com mais acerto e sabedoria.
Para começar, vou escrever como uma certa coisa, neste caso uma certa idéia que não saia da minha cabeça, se transformou na minha profissão. Tudo na minha vida parece que começou meio tardiamente. Emprego, namorado, faculdade, casamento...
Arrumei o primeiro emprego aos 23 anos, comecei a faculdade aos 28 e casei aos 30! Por isso, para aquelas que se sentem "encalhadas", não desistam!!! É possível encontrar o Príncipe depois dos 30, mas aí é claro que ele já terá encontrado a sua primeira cinderela, mas isto é uma certa coisa que comentarei futuramente.
Voltando a profissão, estudei 4 anos para fazer algo que não me dava nenhum "tesão". Mesmo assim, não considero um tempo perdido e sim de aprendizado. Depois que terminei a faculdade, veio aquele pergunta clássica, e agora? Estudei numa Universidade Pública( a primeira da família a atingir tal feito), mas nem isso me estimulava.
Ao contrário de pilotar um fogão. Depois de muitos anos presenteando amigos e parentes com bolos e sobremesas, não conseguia tirar da cabeça que era daí que tiraria meu ganha pão.
Para resumir, depois de algumas histórias engraçadas(me sujeitei em ser até camelô) para comercializar os meus doces, hoje sou a feliz proprietária da minha "casa de lanches".
Com está história quero ilustrar que vale a pena acreditar em certas coisas. Quando passamos a acreditar e a nos dedicar, certas coisas acontecem...foi assim com o primeiro emprego, com o vestibular e até com o marido (este último então... )
Até breve,
Paula Li.

Uma certa vontade

É comum na nossa vida, certas coisas não saírem de nossa cabeça. Nos últimos tempos, uma "certa coisa" que não me saí da mente é o desejo de ter um blog. Algo bastante peculiar para mim, já que leio e-mail ocasionalmente, tenho orkut só para constar e que dirá de facebook ou twitter!? Ou seja, não chego a ser uma analfabeta ou excluída digital, mas confesso que sinto nostalgia da época que o carteiro não trazia apenas contas, mas também cartas de alguém distante e atender o telefone era mais agradável sem a disseminação do telemarketing.
No entanto, apesar do meu descaso tecnológico e o constrangimento em me expor em sites de relacionamentos, eis que surgiu a vontade de partilhar e compartilhar pensamentos, extrapolando a esfera do meu convívio social. Decide dar asas a esta "certa coisa" e agora aqui me encontro!

Paula Li