13 de out de 2011

Muito melhor agora

Oi meninas queridas, finalmente consegui dar o ar da graça!!! Deve fazer mais de um mês que não passo por aqui e um dos motivos é que  todas vez que entro em recesso, acabo perdendo o jeito de blogar rsrsr e aí voltar virá um suplício, nada que eu penso em escrever parece ser digno das minhas ávidas leitoras KKKKK.
Um outro motivo é que comprei uma cama nova e só penso em    DORMIR!!! O trabalho tem me deixado muito cansada e se antes eu já gostava de dormir, agora só penso nisso! Dormir cedo e acordar bem disposta para aguentar o trampo.
Estou muito feliz na nova fase da minha vida e tudo tem dado muuuito certo. Foi uma decisão super acertada investir no Self service e estou simplesmente adorando.
Estou me sentindo muito melhor agora, consegui reunir desejos e objetivos num mesmo pacote e ao mesmo tempo me afastar do que me fazia mal.
Estou sentindo prazer em acordar todas as manhãs e me preparar para o trabalho, algo que não acontecia faz tempo.
Eu tentei, errei, desanimei, mas não sucumbi. E quando tudo parecia perdido... estou me sentindo praticamente a Fênix, renascida das cinzas rssrs
Assim que possível apareço nos blogs queridos, agora vou dar aquela dormidinha básica, no meu colchão  MARAVILHOSO!!!
Beijo a todos e fiquem com Deus.

31 de ago de 2011

Aceito sugestão para montar cardápio

Talvez quem lê este blog com frequência vá me achar um tanto louca ou inconstante com o post de hoje e podem até ter razão rsrs. Vire e mexe estou eu a me lamuriar do meu trabalho e "das forças negativas que o regem" e quando tudo parece perdido, eis que novas forças me impulsionam.
Isto é culpa da minha mãe, que se recusa a deixar os inimigos prevalecerem (palavras dela) e mantém meu anjo da guarda fazendo hora extra sem descanso (só vocês conhecendo minha mãe para terem a noção exata do que estou falando).
Diante de tanta devoção, não me restou muita opção a não ser capitular. E quando isto acontece, lá vem uma nova idéia e com apoio dos meu dois fiéis escudeiros, mãe e marido, que por serem mais velhos, deveriam ter mais juízo... rsrs
Semana passada me virei para minha mãe e disse: - já pensou na idéia de servimos comidas?
Foi o bastante para mobilizar os dois, sendo que ela não cozinha nada, desde pequena eu sempre fui a chef da família.
Idéia para o banner
Pronto!!! Em que fui me meter! Basta dar a idéia para os dois saírem investindo. Já faz noites que não durmo preocupada com a responsabilidade, mas confesso que estou empolgada. Não será nada  cinco estrelas e como nas redondezas não tem nenhum self service, optamos por oferecer este serviço (na verdade uma espécie de pensão melhorada) rs.
Compramos uma balcão com espaço para 8 pratos quentes e 4 frios e conto com vocês para me ajudarem a montar um cardápio gostoso, econômico e prático
Vãobora me ajudar!?

27 de ago de 2011

Existe felicidade completa?

Felicidade é um conceito abstrato, mas para a maioria das pessoas esta relacionada ao sucesso e mensurada pela esfera financeira e amorosa. 
Se você é uma pessoa bem-sucedida financeiramente e de quebra ainda tem um relacionamento amoroso maravilhoso ou vice-versa, pode crer que será considerado por muitos como alguém completamente feliz. Sei que felicidade é muito mais abrangente do que isto, mas no mundo materialista em que vivemos, não há como negar que a busca por melhores oportunidades esta no topo da lista de prioridades da maioria do mortais.

E encontrar a cara-metade deve estar no segundo lugar da lista. Hoje estava conversando com minha melhor amiga, que é bonita, inteligente e esta se tornando bem-sucedida. Ela começou como recepcionista de uma Universidade privada e em poucos anos já alcançou um posto bastante significativo.

Em contrapartida ao sucesso profissional, sua vida amorosa é um caos. Já teve alguns relacionamentos sérios com homens que pintaram e bordaram com ela e nos últimos anos não conseguiu emplacar nenhum romance. Restou bancar a "moderna" e fazer uns free-lances  com homens já comprometidos, com muita disposição para o sexo casual e pouco interessados em envolvimentos.
Na nossa conversa ela contou sobre a sua última decepção, um cara que ela admirava faz tempo e quando finalmente marcaram um encontro, ela descobriu que seria apenas mais uma na vida dele, entre outras coisinhas. OU seja, ela é clássica mulher que tem dedo podre para homem. A esperança de finalmente ter encontrado um homem para chamar de seu foi para a vala.
Já a minha situação é inversamente proporcional. Se por um lado ainda não sou bem-sucedida profissionalmente, não posso me queixar da vida amorosa. Tive poucos namorados e bem menos ainda decepções amorosas. E depois de alguns altos e baixos conquistei um nível  de excelência no meu relacionamento.
E isto me fez refletir. Existe felicidade completa, se formos utilizar como parâmetros, sucesso profissional e amoroso?
Grande parte das pessoas que eu conheço são de baixo nível sócio-econômico e seus relacionamentos são igualmente "pobres". 
Estou tentando me esforçar para ver se consigo lembrar de alguém "completamente feliz", (seguindo o critério profissional e de relacionamento) mas estou tendo dificuldades. Vocês podem me ajudar?

23 de ago de 2011

Me segue também


Hoje vou ser cara de pau e ao invés de queimar minha mufá pensando num texto legal, vou usar o crtl c/ crtl v, tão adorado e odiado pelos blogueiro e repassar o divertido texto escrito pela Dama, a minha alter ego rsrsrs. 

Top comentarista...

Alguém passa no seu blog e deixa esse comentário:

"Olá! Adorei seu blog, muito criativo! Também tenho um blog e gostaria que vc desse uma olhada. O endereço é: www.blablabla.semnoção.com/ Passe por lá!"


Se você quer que a pessoa morra, digite 1.

Se você é indiferente , digite 2.

Se você sente vontade de xingar de volta, digite 3.

Se você gosta desse tipo de comentário, digite 4.

Digite 5 para nenhuma das respostas acima.

Eu digito 2!
 
Eu fico entre o 2 e 3, mas como não ainda não consegui abandonar completamente  meus bons modos,  de vez em quando ainda dou um confere no blog do sem noção e agradeço pela visita. 
Confesso que tenho algumas neuras em seguir blogs, pois para mim este ato sugere compromisso. Prefiro seguir poucos e bons blogs e interagir com todos eles.

18 de ago de 2011

Trabalho espiritual

Eu sou filha, neta e nora de umbantistas. A mãe do meu marido era mãe de santo e minha avó e minha mãe sempre frequentaram Centro Espírita. Enquanto eu não me "mandava", acompanhava minha mãe nas sessões e enquanto ela estava desenvolvendo no terreiro, eu me divertia a valer, brincando no pátio.
Este mundo nunca me interessou. Assim que tive idade suficiente para ficar sozinha em casa, deixei de acompanhar minha mãe no Centro, mas vez ou outra ela me "obrigava" a tomar um passe ou uns banhos para tirar o mal olhado.
Atualmente o mais perto que chego do Centro que ela frequenta é na porta, de dentro do carro, enquanto espero a sessão terminar, para levá-la para casa.
Como eu já disse outras vezes, eu não tenho religião e nem nos momentos difícies, costumo apelar para banhos, rezas e orações, ao contrário da minha mãe. Hoje vou escrever basicamente sobre ela e suas crenças. 
Apesar de a trancos e barrancos, continuo tocando a Casa de Lanches, que deixou de ser um sonho e se transformou num pesadelo. Os clientes debandaram e é aí que entra a minha mãe e suas crenças. Para ela, o sumiço dos clientes se deve a um único fato: inveja. Nem eu consigo negar este fato, o meio que eu vivo são de pessoas medíocres.
E por conta desta certeza, enquanto eu me desinteressei pelos negócios e procuro novos caminhos, ela se nega a aceitar a derrota e procura no espiritismo a salvação da lauvora. Semana passada ela comprou vários ítens e levou para a antiga mãe de santo da minha falecida avó. Hoje ela me disse que os produtos eram para oferecer ao meu anjo da guarda.
Minha mãe é do tipo que alterna umbanda com catolicismo e com a mesma frequencia que desenvolve num terreiro, ouve Padre Marcelo Rossi e frequenta a missa, além de já ter lido o livro Ágape de trás para frente e vice-versa. A mulher tem mais fé no dedinho mindinho que eu no corpo todo.
Enquanto ela se agarra na fé que os inimigos não nos derrotaram, eu me agarro em novas oportunidades que possam surgir e esta virando o duelo do século: Espiritualidade X pragmatismo
Só que tanta praticidade foi posta em cheque nesses últimos dias. Depois do "trabalho espíritual" e da reza incessante, não é que eu, cética de carteirinha, estou me sentindo mais animada? E clientes que estavam sumidos a tempos, estão reaparecendo?
Confesso que não sou de pedir nada a Deus. Não por não  acreditar, só não me sinto bem em pedir. Não sou boa em pedir as coisas, nem mesmo para Deus. 
E esse lance de trabalho espíritual, será que funciona? Ou será tudo merá concidência... Não sei a resposta, mas não há como negar as mudanças.

15 de ago de 2011

Traição

Dia desses uma conhecida perguntou se eu considerava traição o marido visitar sites de pornografia. Não, eu não acho. Meu marido já foi assíduo frequentador desses sites e consome todo tipo de material deste segmento. Adora uma mulher pelada em poses duvidosas e estranhamente isto não me incomoda.
Acho que é por que ele faz as coisas as claras, ao contrário do marido da minha conhecida e quando eu me aproximo não fecha a página as pressas, como se tivesse cometendo um crime horrível. Ou então é por que ele acha que sou um dos seus amigos e não se incomoda em partilhar comigo suas "descobertas". Ou então eu estou moderninha demais...

Traição para mim tem mais a ver com quebra de confiança e não em folhear e babar em cima das páginas de uma revista. Consigo separar perfeitamente as coisas e não me sinto agredida por este fetiche masculino.
Ciúme e desconfiança praticamente não faz parte do meu relacionamento e costumo lidar com essas questão com muito bom humor. Com um marido que tem uma ex-esposa pegajosa, engravidou uma vizinha que mora em frente a nossa casa e tem um  emprego que muitos consideram sedutor, aja bom humor, que aliás eu tenho de sobra.
Para aqueles que ficaram preocupados em saber que meu marido engravidou a vizinha, isso já faz 15 anos e eu nem sonhava estar na vida dele!!! Acho que já disse isto antes...Voltando a questão da traição, eu sempre brinco que ele pode olhar, mas não pode tocar. 
Quando a farda dele descostura, mesmo que ele já esteja todo arrumado para sair, um mando tirar e costuro, se não, vai que alguma moça "bem intencionada" pede para fazer o serviço? E muitas vezes o conserto é no fecho rsrsrs.
Mesmo a ex-esposa sendo um chiclete, eu não discuto com ele e brinco: quem mandou ser gostoso? Agora aguenta!
O trabalho dele já nos mantém afastado, então quando estamos juntos fazemos de tudo para ser só alegria. Não perco meu tempo procurando chifres em cabeça de cavalo, por que ele passa as noites trabalhando. Nem fico ligando o tempo todo, procurando algum vestígio de traição. Não revisto roupas, nem carteira e muito menos o celular quando ele chega em casa.
E é claro que isto é mais pela segurança que ele passa do que por conta da minha discrição. Tudo bem que eu não sou uma mulher possessiva obsessiva paranóica e o comportamento dele é fundamental para que eu consiga ter clareza e durma tranquilamente todas as noites.
E vocês, como lidam com essas questões?

9 de ago de 2011

Uma questão delicada

Dias desses fui surpreendida por uma situação bastante delicada. Recebi o  convite para ser madrinha de uma criança e não fiquei empolgada com o fato. E agora, como resolver a questão? A mãe chega para você toda feliz e contente e diz que tem algo para lhe falar. Quando soube do que se trata, ao invés de se sentir honrada, o seu único sentimento foi o de pânico.

A primeira vez que fui convidada para ser madrinha eu tinha uns 10 anos e na segunda uns 12. Jovem demais para o tamanho da responsabilidade. Desse tempo para cá, pouco contato tive com meus afilhados, o que me fez jurar jamais aceitar um novo convite. Já relatei aqui a dificuldade que tenho com algumas responsabilidades e o meu obscuro lado egoísta.
A mãe da criança em questão é minha vizinha e cliente e com apenas 21 anos, já tem 3 filhos. A vida familiar é um caos e eu me apavorei em pensar em tomar parte dela. E além disso, falta o essencial entre nós, pelo menos da minha parte: não sinto nenhum envolvimento emocional. Ela é apenas mais uma cliente e é desta forma que pretendo que as coisas continuem.
E daquelas que tem o hábito de pedir as coisa emprestado, desde  dinheiro até o celular, passando pela prancha de cabelo. E tudo isso, sem ter nenhum vínculo afetivo... Imaginem como comadres!!!
Eu sei, eu sei, estou parecendo chata e egoísta, mas as vezes não dá para ser diferente. Prefiro perder a "amizade" agora, mas manter a paz de espírito. Sei que não vou corresponder as expectativas que ela  depositará em mim e da forma mais gentil que consegui, declinei o convite.

 

8 de ago de 2011

Ficamos mais velhos

Ontem, 7 de agosto eu e meu marido fizemos aniversário, 35 e 45 anos respectivamente. Este ano optei por não apagar as velinhas e deve ter sido a primeira vez em todos os meus anos de vida. Eu simplesmente adoro bolo, simples ou com recheio, tanto faz. 
A decisão de não ter bolo não foi por algum motivo especial, eu só não estava afim. Como sou eu mesma que faço, prefiri aproveitar o tempo de outra forma e o dia não deixou de ser especial.
Apesar de não ser mais a ultra mega romântica  de outrora, fazer aniversário no mesmo dia que o meu querido marido tem um sabor especial e reforça nossos laços. Quando as coisas ficam feias, eu sempre posso apelar para o sentimentalismo: " nosso amor estava escrito", " nascemos para ficar juntos" rsrsrs.
Falando sério, eu acredito mesmo nisso e espero que possamos comemorar mais 50 anos juntos e que o dia 7 continue sendo o nosso número da perfeição.
A noite fomos arriscar uns passinhos de forró no Centro de Tradições Nordestinas, em São Cristovão e pela primeira vez vi meu marido bebâdo. Hilário! E preocupante! Como um homem de 90 Kilos pode ser fraquinho para bebida!? Cinco cervejinhas e ficou na mão do palhaço rsrsrs.
Ainda bem que eu não abri mão da boa e velha Coca-Cola...
Para finalizar, acredito que os anos decorridos tenham sido generosos comigo, me sinto melhor aos 35 do que aos vinte, tanto de corpo como de mente. Na verdade acho que é mais de mente do que de corpo, mas deixa pra lá rsrsrs


2 de ago de 2011

Mentem que nem sentem

É claro que de perto ninguém é normal e na minha recente jornada como comerciante, pude constatar esta teoria. Convivendo mais intimamente com alguns vizinhos um fato curioso me chamou a atenção: como eles mentem.

É interessante como algumas pessoas recriam uma outra realidade e sem pudor algum, assumem quase uma nova identidade. Elas olham nos seus olhos e dizem as mentiras mais deslavadas, ou então as verdades mais inverossímes. 
Tipo: homem feio que só pega mulher bonita. Linda. Maravilhosa. Daquelas que deixam todos os seus amigos com inveja. E segundo ele, não precisa nem se esforçar, é só o garanhão chegar que elas caem matando. Tá bom que eu acredito.
Além de garanhão, ele se considera um homem bem sucedido e mesmo sem emprego há anos, jura que é empresário. Eu até poderia acreditar, se não fosse as continhas, que ele teima em pendurar.
O que leva uma pessoa a pegar um carro emprestado e desfilar como se fosse seu? Ou inventar almoços de negócios em restaurantes badalados? Viagens maravilhosas? Empregos e profissões que não existem? Salários fictícios!?
Eu ouço as histórias e sei que não passam de fantasias, afinal, convivo que estas pessoas há anos, mas como diria minha mãe, eles são tão doentes do  "esprito" e da alma, que passaram a acreditar nas próprias mentiras.
E uma mentira encobre a outra, quando o carrão desaparece, até que possa substituí-lo por outro.
Acho essa forma de encarar a vida digna de pena. Criam um mundo de mentirinha,em que cada delírio é uma bolinha de sabão, que estorarão ao mais leve toque.
Talvez eles achem que estão fazendo os outros de bobos, quando eles é que o são.  Mas acredito mais que procuram uma fuga da realidade, vivendo uma vida que gostariam, mas que não lhe pertence.

24 de jul de 2011

O que andei aprontando

Quando iniciei o blog há um ano, eu pensei  seriamente em lhe dar o título de " eu odeio ex-esposas". E escreveria basicamente sobre como ex-mulher é um pé na saco e as variadas maneiras de mandá-las pastar.
Claro que nem toda ex-mulher é chata, mas quando ela não refaz a vida e lá no fundinho nutre esperanças de um revival, pode contar que voce terá problemas, sérios problemas.
Bem, desisti do título e também de só falar em ex-mulher, afinal, minha vida não gira e não pode girar em torno dela e o tempo me deu sabedoria para lidar com a questão.
Mas o mês de junho é aniversário da minha enteada mais nova e uma velha questão voltou: comparecer ou não a festa da menina? Por quatro anos, meu marido sempre foi sozinho e a situação sempre foi meio estranha, o clima ficava denso e é difícil descrever o que eu sentia. Só sei que não me sentia bem, por mais que me esforçasse ao contrário.
A ex sempre fez questão de ser muito presente, ter uma filha com ele a enche de prerrogativas, tipo ele continuar sendo seu motorista particular, montador de movéis, office boy, um amigão de todas as horas. Afinal, a atual não precisa se preocupar, é perfeitamente natural ex companheiros se tornarem ótimos amigos. Uma ova que é!!!
Pois bem, nunca briguei com a ex, sempre nos "respeitamos" e nos tratamos cordialmente e esse ano decidi: iria a festa de aniversário. A decisão me tomou de assalto e eu fui. Nem sei explicar racionalmente por que, só achei que deveria. 
Meu marido adorou a decisão e tudo correu bem. Não me senti deslocada e o recado foi passado. Se ela não gostou paciência. Eu também não gosto dela reivindicando meu marido, como se fosse incapaz de realizar qualquer  ação sozinha.
Ele sempre será pai da filha dela e precisa arcar com seus deveres. De pai, não de marido.

23 de jun de 2011

Estou viva!!!

Gentem, eu sumi, mas estou viva!!! Nunca fiquei tanto tempo sem blogar, os dias tem sido tão corridos, que o blog ficou abandonado. 
E para completar, acredito que fui contaminada pelo fenômeno 1 ano de blogsfera. Os primeiros meses são de euforia total, vicio mesmo, mas depois que o namoro se consolida, a rotina cobra seu preço.
Ultimamente tenho me sentido meio "bipolar", tem dias que estou alegre e animada e outros que me sinto um fracasso. Nunca me senti tão extremada como agora e isso deve a vontade de fazer várias coisas ao mesmo tempo e encontrar algumas pedras pelo caminho. 
A saúde vai bem, o relacionamento também e os negócios vão progredindo devagarinho. Mesmo que eu fique um longo tempo sem postar, não pretendo abandonar vocês, pois arejam minha mente e contribuem para meu crescimento pessoal. Ao contrário de muitas pessoas que me cercam...
Eu vou, mas eu volto!!!
Beijos



7 de jun de 2011

O desprezível mundo do apadrinhamento político

Nas eleições passadas, um conhecido meu fez campanha eleitoral para vários candidatos, de olho numa nomeação.  Esse vizinho faz o estilo fanfarrão e confesso que de início pensei que fosse mais umas de suas histórias, dentre tantas as mentirar que ele conta.
Só que desta fez eu tive que morder a língua, pois meses depois das eleições meu conhecido foi nomeado para a um cargo na prefeitura da cidade. Com mais de 40 anos e poucos anos de estudo, começou a dar expediente como vigia noturno numa escola local, dia sim dia não.
Tudo estaria ótimo, se não fosse um pequeno detalhe: ele queria ser nomeado, mas não queria trabalhar!!! Depois de amargar algumas noites sem dormir no cansativo trabalho de vigia noturno numa escola sem alunos e ameaçar pedir exoneração, enfim ele conseguiu o que queria: esta recebendo sem precisar trabalhar. E todas as vezes que meu marido e eu passamos por ele, ouvimos o deboche: eu sou um homem muito doente, não posso trabalhar...
Que raiva que eu sinto do sujeitinho e da nossa política, que faz tão mal uso do nosso dinheiro. Meu marido trabalhou alguns anos para um político local e nunca, nem uma vez sequer ele ou eu cogitamos pedir uma nomeação. Na epóca eu estava recém-formada e desempregada, a vida estava muito mais dura que agora, mas nem assim nos sentimos tentados a pedir uma mercês. 
Não digo que se me fosse oferecido uma nomeação eu não aceitaria, ma realizaria o trabalho como em se fosse contratada em uma empresa qualquer. Com profissionalismo e comprometimento.
Já prestei um sem-número de concursos e por enquanto só bato na trave. Já sofri muito por conta disso, me descabelei, me senti burra e incompetente, mas agora relaxei. 
Inteligente é o meu vizinho, que nunca estudou, mas faz algo que eu não sei: sabe agradar as pessoas certas.

1 de jun de 2011

Eu odeio novelas

Num passado recente, eu gostava tanto de assitir novelas, que não perdoava nem as mexicanas. Não me envorgo em dizer que assiti a trilogia Marimar, A Usurpadora, Canavial de Paixões e Guadalupe, minha preferida. Esta última quando reprisou na CNT eu obriguei meu pai a assitir, pois só havia uma TV em casa e logicamente eu não poderia perder aquele novelão rsrsrs. 


Mas este tempo passou, assim como muitos outros. Faz anos que não assisto novelas, nem brasileira e muito menos mexicana. Eu fui a típica mocinha romântica que ia ao cinema por causa da beleza e não do talento dos atores e devorava romances da série Julia, Sabrina e Bianca.
Sonhava em ter casa, marido e filhos e desses sonhos só os dois primeiros permaneceram. Demorei a me desvenciliar dos meus ideiais românticos, mas me percebo tão diferente da mocinha de antigamente. Sou a mesma, mas diferente, entendem!?
Ainda gosto de comédias românticas, mas prefiro filmes de suspense e investigação policial. Adoro cuidar do meu marido, mas não me imagino dedicando toda a minha energia a uma criança. Prefiro não ter animais nem plantas, pois não gosto que dependam de mim. Dizer claramente que não gosto de animais, crianças e plantas faria muitos pessoas repensar seus conceitos sobre mim, não é mesmo? Na verdade não é uma questão de gostar e sim de se envolver. Se eu tivesse uma dessas três coisas, eu gostaria. Mas decidi que não quero ter.
Faz tempo que queria escrever este post e já o ensaiei um milhão de vezes. As vezes penso que passo a imagem de ser a menina boazinha e gentil e não há quem diga que eu não sou. Mas também tenho este outro lado. Um lado meio desapegado e egoísta, que pensa muito em mim. 
Meu relacionamento já teve seus altos e baixos, mas acredito que o ponto forte é a sensação de liberdade. Meu marido sabe a medida exata entre saber me fazer sentir querida, sem me sufocar  E eu já quis muito que ele me sufocasse rsrsrs....
Mas a maturidade tem me feito ver a vida sobre outros ângulos, me fazendo deixar de gostar de algumas coisas como novelas e me fazendo apreciar outras tantas.


28 de mai de 2011

Euforia

Não sei se vocês são chegados num ditado popular, mas eu gosto. Quanta sabedoria em frases tão curtas!!! Estava pensando em algo para abrir o post e a frase "quando Deus fecha uma porta abre uma janela", resume bem o meu momento atual.
A Casa de Lanches não esta rolando. Anda mal das pernas, o movimento esta fraco e eu me sinto insatisfeita por vários outros motivos. O horário foi algo que me incomodou desde o início, trabalhar de terça a domindo, 12 a 14 horas por dia, nunca foi meu ideal.
E eu não consigo persistir muito tempo em algo que não esta me agradando. Acho que mesmo que o dinheiro estivesse entrando aos montes, eu estaria insatisfeita. Dinheiro é bom, mas sinceramente eu não quero ser escrava do trabalho.
O jeito então era pensar numa alternativa e o que eu mais faço é pensar. Se algo não esta bom, vamos mudar. Sem lágrimas e desespero e sim com inteligência. Além do horário, infelizmente é nítido que algumas pessoas não querem me ver crescer. E para eu dizer isso, pode acreditar, é verdade. Demorei muito tempo desacretidando em olho gordo e inveja, mas agora vejo que existe.
Como eu moro numa rua transversal e um tanto escondida, fico "refém", dos meus vizinhos, meus principais clientes. E é aí que as coisas se complicam. 
E decidi não depender mais deles. Deus não abrirá portas nem janelas, se você não correr atrás. E o motivo da minha euforia, é que pretendo lançar oficialmente o Kit Festas Express esta semana e buscar novos clientes. Fiz o blog, panfletos, vou anunciar em jornais da minha região, outdor rsrsrsr. E ainda sim pretendo trabalhar num horário mais condizente com minhas necessidades.
 E como eu disse: eu penso muito. Como vou trabalhar com festas, pensei em como se faz papel de arroz, descobri e já comprei minha própria impressora. Tanto posso usar nos meus bolos, como revender somente o papel. E as ideias não param de chegar, pretendo trabalhar com convites, fotocubo...
E tudo isso só é possível por que tenho uma pessoa excepcional ao meu lado. Meu marido. É ele que financia os meus projetos, sem nem se questionar se dará certo.
Minha falou com ele sobre minha felicidade com os novos projetos e ele respondeu: mas feliz sou em fazerminha esposa feliz.

21 de mai de 2011

Comemoração atrasada

Com um dia de atraso, vim desejar feliz aniversário a duas pessoas muito queridas. Uma delas é real, presente e que me gerou a vida. A outra é ,virtual distante e responsável por eu ter tomado gosto pela blogesfera.
 Parabéns a  minha mãe e a blogueira Flávia Shiroma, do blog compartilhando idéias com uma mulher de 30 e poucos...mulheres tão especiais em minha vida, que até fazem aniversário no mesmo dia.
São duas personalidades distintas e que muito eu admiro. Uma tem pouco estudo. A outra já foi até jornalista internacional. Uma é simploria. A outra é culta e viajada. Uma é dura. A outra é doce. As duas guerreiras. As duas fantásticas.
Minha mãe não gosta de comemorações, mas mesmo assim fiz um bolinho, com um dia de atraso e celebramos mais um ano de vida. Que ela continue cheia de vida e saúde e que permaneça por muuito tempo ainda pegando minhas roupas e bolsas emprestadas, como se ela fosse a filha e eu a mãe!!!
E  aproveitando a oportunidade, fiz o kit econômico para celebrar os 61 anos da minha mãezinha:


Flavinha, depois de mais de uma década você esta comemorando seu aniversário no Brasil e este bolo também foi em sua homenagem, pena que mesmo mais perto, você ainda esta muito distante.
Que todos os seus sonhos se realizem, mas o que importa é que vocês estão juntos.

19 de mai de 2011

O preventivo

Ontem  realizei o exame preventivo e isto não seria nenhuma novidade se não tivesse sido realizado por homem. Sempre dei preferência a ginecologista mulher e claro, não por uma questão de competência, mais por puro pudor.
Pode parecer retrógado, mais abrir as "pernas" para um estranho, mesmo que sendo médico, não é algo que eu aceite com naturalidade. Prefiro ter alguma intimidade para fazer certas coisas, se é que vocês me entendem...rs.
Pois bem, desta vez não tive muito sorte. O exame estava marcado no posto de saúde próximo a minha casa e quem costuma fazer a colheta é uma enfermeira. Só que a enfermeira foi substituída por um ENFERMEIRO e quando me dei conta, pensei seriamente em dar meia volta. Que vergonha!!! Quase 35 anos e com vergonha de mostrar a "perereca"!!!
Enquanto aguardava a minha vez, reparei que o enfermeiro estava acompanhado de outra  profissional mulher e assim que entrei no consultorio fiz a temível pergunta: quem colheria o preventivo!? O enfermeiro teria que ficar na sala!?
Com pesar, ouvi a resposta: ela era estagiária e ainda não se sentia segura para realizar o exame. Tudo bem, eu não me importava que ela treinasse comigo, então lá fomos nós para o sacrifício.
E que sacrifício!!! A estagiária não achava o buraco certo e tive que deixar meus pudores de lado. Solicitei que o enfermeiro realizasse o preventivo e ele foi muito gentil: sei que é difícil mas tente relaxar, quanto mais nervosa, pior será... blá blá blá...
Imaginem a cena: pernas abertas, naquela posição ingrata que toda mulher já conhece, mãos nos olhos para esconder a vergonha e um homem e duas mulheres observando atentamente minhas partes íntimas.
Não é o cúmulo do constrangimento!?
Mas tudo pela saúde rsrsrs.
P.s: não consegui anexar fotos.

17 de mai de 2011

Rapidinha

Oi pessoal, hoje passei só para uma rapidinha rsrsrs. Estou atarefada com o novo projeto, mas amanhã as coisas começam a voltar ao normal.
Vim mostrar as fotos do primeiro kit de festas express, como eu precisava ter algo para divulgar e a minha vizinha não tinha muita grana, unimos nossas interesses e voilá:







A proposta do kit são festas práticas e econômicas. Já iniciei o blog da festa, mas como sempre não consegui  ter muito sucesso com o tal de html. Se alguém quiser ajudar a criar um layout bacana, fique a vontade em se oferecer rsrsrs.
P.s: meu presente de aniversário adiantado já esta a caminho e poderei blogar a vontade com um netbook todinho meu.
Bjs

9 de mai de 2011

Sim, Senhor

Como você encara a vida? É receosa (o) e diz não as oportunidades que se apresentam com medo de se expor ou se decepcionar ou é atirada (o) e diz sim  as oportunidades que se apresentam, pois sempre imagina que algo bom pode surgir e mudar sua vida?
Já faz tempo que assiti ao filme Sim Senhor com Jim Carey e a mensagem da comédia é que não devemos desprezar as oportunidades e que ao dizermos sim para a vida, podemos atrair muita coisa boa. Exageremos a parte, muitas vezes deixamos de fazer algo por mera expectativa negativa: como saber que um despretencioso convite para visitar uma amiga não fará você conhecer o homem dos seus sonhos? Parece bom demais para ser verdade? Pode acontecer!!! 
E quando o assunto é profissional? Você é mais otimista e arrojada ou prefere não correr riscos!? No último sábado eu estava assitindo uma aula de bolo artístico e a mulhereda estava eufórica, pois o tema era clube das mulheres. Conversa vai com conversa vem, uma das delas contou que sempre fazia esse tipo de aula, mas que testava as receitas apenas para a família, até que recentemente recebeu a encomenda de um bolo.
Eu, fazer um bolo? - disse ela. E não era qualquer bolo, era para uma emissora de televisão, para um programa de esportes e não é que a mulher topou o desafiou? Um amigo do filho dela, que havia experimentado seus bolos a indicou para a emissora e depois de um minuto de dúvida ela disse a palavrinha mágica: Sim, senhor.
Num dia só os familiares conheciam seus bolos, no outro estava em rede nacional. Só para constar, ela cobrou R$ 500,00.
Fiquei com esta história na cabeça e pretendo aprender esta lição. Se fosse comigo, teria ficado com medo, insegura, diria não e acaberia perdendo uma grande oportunidade. Quero ser mais otimista, acreditar no meu potencial e quando um cliente fazer uma encomenda, por mais trabalhosa ou inusitada que seja, eu esteja sempre pronta a dizer Sim, senhor.
Muitas vezes tenho medo de não dar conta, ou de não saber fazer, mas só vou crescer profissionalmente se encarar todos os desafios. 
P.S: esta semana vou preparar o primeiro Kit para Festas Express e vou estar bastante ocupada. Preciso dar também conta da Casa de Lanches, mas vai dar tudo certo, só vou me ausentar dos blogs um poquinho, mas já já estou de volta.
E não se esqueçam dizer para Sim para a vida!!!
Beijos

3 de mai de 2011

O judas e minha nova empreitada

Nos últimos dias dois fatos marcaram minha semana. Na verdade um deles aconteceu com meu marido, que como alguns de vocês sabem é policial militar no Rio de Janeiro. Há cerca de dois anos ele estava prestando serviço no Forum da nossa cidade, o que era muito bom. Pelo menos melhor do que trabalhar na rua. Ele já esta cascudo, tem quase 45 anos e cansou de correr atrás de bandidos. Trabalhar numa escala de segunda a sexta permitia que ele ficasse um pouco mais com a família, aumentava seu tempo de vida, já que a possibilidade de um confronto era mais remota e lhe permitia conciliar com o trabalho de segurança.
Semana passada tudo isso acabou. Um funcionário do forum, que se dizia amigo dos policiais, deu um "jeitinho" para que eles fossem transferidos, através de mentiras e intrigas. Um Judas, que sempre se mostrou prestativo, mas não exitou na hora de desferir o golpe quando lhe foi conveniente. E como missão dada é missão cumprida, lá estão meu marido e seus colegas afastados de seus antigos postos e tendo que se readaptar aos novos setores. E o que mais incomoda meu marido não é este fato, pois policial militar esta acostumado a hora estar aqui, hora estar ali, mas sim a trairagem e a covardia. De um homenzinho pequeno de tamanho e atitudes, que quando viu o circo pegar fogo, foi o primeiro a tentar tirar o seu da reta, dizendo não ter nada haver com os fatos.
Enquanto meu marido passava por esse revés, eu tentava tocar minha vida. Vi uma oportunidade de me formalizar e agora sou MEI ( Micro Empreendedor Individual). Deixei de ser "micro empresária informal" e agora sou mulher direita rsrsrs!!!
E as idéias fervem na minha cabeça. Estou cheia de planos e minha mente já não esta confusa, conforme disse post re- retrasado. Agora tenho Cnpj, alvará de funcionamento e já fui ao banco tentar conseguir uma máquina de cartão de crédito. Tive que abrir uma conta júridica e estou meio apavarada com os custos, mas muitos vezes precisamos ousar para avançar.
Me matriculei em novos cursos na área de buffet e pretendo começar a trabalhar com kits para festas, uma idéia antiga, que estou reeditando. Depois conto mais...E a vida continua, vejo o marido ainda menos que antes, mais estou cheia de ânimo e de esperança.

26 de abr de 2011

Abençoada ignorância

Minha mãe é uma pessoa pouco interessada em noticiários e graças a essa ignorância deve ser umas das únicas pessoas no planeta Terra a não ter ouvido falar do casamento mais esperado dos últimos tempos. Nessas horas até a invejo, pois acho um tédio sentar para assitir um tele-jornal e ser bombardeada com imagens do príncipe e sua futura esposa.


Os dois até que fazem um casal bonitinho, mas sinceramente as bodas reais não me despertam o menor interesse. Saber aonde vão morar, quem será convidado para a cerimônia, como será o vestido da noiva, qual o famoso que ficará de fora de evento...Que saco! Tudo bem noticiar, mas precisa mesmo só falar sobre isso? Ainda bem que não tenho facebook nem twitter! Nesses dias acho que vou evitar até comprar jornal.
O casamento deles para mim não passa de um fato corriqueiro, afinal quase todas as pessoas vão se casar um dia. Principalmente sendo da realiza, aí vira obrigação! E como eu não faço parte da família, não sou amiga dos noivos e não tenho nenhum interesse financeiro, nem político no enlace, não consigo me interessar pela avanlache de informações despejadas sobre nós, pobres mortais, a cerca dos pombinhos.
Não nego que  leio uma notícia aqui outra ali sobre as celebridades, mas não não desperdiço tempo nem dinheiro com isso. Se a Revista Caras, Contigo e demais do gênero dependessem do meu dinheiro para enriquecer, jamais conseguiriam. Sorte dessas revistas é que ao contrário de mim, tem uma bando de pessoas que adoram bisbilhiotar a vida dos famosos.
Prefiro empregar meu tempo e principalmente meu dinheiro, em algo que me trará algum benefício!!!

24 de abr de 2011

Um olhar do paraíso

Graças a meu querido cunhado, tive um ótimo final de semana, não deu para estender por todo o feriadão, mas é melhor pouco do que nada. Viagens e passeios infelizmente fazem parte da excessão e não da regra na minha rotina. Por isso comemoro bastante qualquer oportunidade de ver e sentir outros ares e curtir a companhia do meu querido maridão. 
Nós somos como os personagens do filme Feitiço de Àquila, quando um esta dormindo o outro esta acordado e vice-versa. Apesar dos desencontros a relação vai bem, obrigado e passar dois dias juntinhos foi tudo de bom. Me senti num paraíso: sol, mar, areias brancas, cumplicidade, planos, romance...AMO MUITO TUDO ISSO!

Arraial do Cabo
Cabo Frio
Arraial do Cabo
Arraial do Cabo
Cabo Frio



Obrigada cunhado, por mais uma vez ter me proporcionado um olhar do paraíso. Você não imagina o quão fico feliz com essas brechinhas.
As fotos são do meu celular made in china que custou 100 contos. O paraíso é bem mais bonito visto de perto.

18 de abr de 2011

Confusão mental

Estou naqueles dias!!! Pensando em muitas coisas para escrever, mas tudo parece sem sentido. Normalmente quando faço um post, quase sempre é um insight. A idéia aparece e toma forma na minha mente, depois é só passar para a tela. Ou então quando alguma situação cotidiana  me chama a atenção. 
Já tem um certo tempo que venho pensando nos meus sonhos. E isto tem deixado minha mente muito confusa.

É tão maravilhoso quando se consegue realizar um sonho ou um desejo. Você passa anos sonhando com algo e enfim consegue realizar, no meu caso foi ter meu próprio negócio, A Casa de Lanches Pra vê Pra comê.
Mas  quando o sonho se transforma em realidade, deixa de ser fantasia e toma uma forma é hora de aprender a lidar com o concreto. Enquanto sonho tudo é maravilhoso. Enquanto realidade preciso administrar as pedras no caminho.
Gerenciar um negócio por menor que ele seja, como é o meu caso, é desgante, toma muuuito tempo e a proporção horas trabalhadas X lucro obtido muitas vezes é desigual. Tem dias que bate uma certa angústia, um certo desânimo e vontade de voltar a sonhar. 
Como alguns já sabem, a Casa de Lanches fica na minha própria casa e a convivência mais estreita que acabei desenvolvendo com os vizinhos é a grande responsável pelo meu estado confuso. Eu ganhei uma certa visibilidade e por conta do ambiente aconchegante muitas pessoas que eram apenas vizinhas se tornaram "amigas".
E confundem um pouco as coisas, umas não frequentam o meu estabelecimento temendo que eu fique rica as custas delas, outras ganharam "intimidade" e se acham no direito de pendurar a conta, pedir dinheiro emprestado, prancha de cabelo, bolsa, celular...Juro, tem semanas, como na última que passou, que 4 vizinhos me pediram dinheiro emprestado.
Ufa! Estou cansada. Por que algumas pessoas são tão pidonas? Por que são tão invejosas? Penso seriamente em me transferir para outro ponto, em que as pessoas sejam apenas clientes e não "amigas". Que saibam o mínimo possível da minha vida, que não passem o dia chorando as mazelas.
Como eu disse, preciso aprender a lidar com a parte prática do sonho, antes que ele se torne um pesadelo.
 Minha mãe me aconselha a tomar muito banho de sal grosso, para espantar o mal olhado rsrsrsrs!

 Uhu uhu!!!No feriado pretendo viajar para Cabo Frio e espero recarregar as energias e voltar novinha em folha. A muito tempo que não faço um passeio e espero que São Pedro colabore com a diversão. 

12 de abr de 2011

Juventude

Dias desses estava ouvindo uma conversa entre duas jovens, uma delas mal tinha completado 18 anos e já estava no “segundo” casamento. Ela narrava como estava se sentindo mal, depois de ter ido a uma boate na segunda-feira, para provocar o marido e ter bebido todas, a ponto de não se lembrar de como havia chegado em casa.

Durante a conversa, contou suas peripécias amorosas, namoro com traficantes e chefes de boca de fumo e que todas as suas saídas eram regadas a muito uíque e vodca. Eu ouvia aquilo tudo e pensava: acho que nunca fui jovem, já nasci velha.
Com todos os problemas que meu pai deu a minha mãe, como contei  no  post anterior, desde muito cedo eu decidi que seria uma filha exemplar. Minha mãe deu muito duro, mas duro mesmo, para criar meu irmão e eu. Meu pai era trabalhador, mas viveu vários períodos de desemprego. Então sobrava para minha mãe, que era manicure desde os 12 anos de idade, ajudar no sustento da família, principalmente nas "futilidades".
Era graças a ela que eu tinha sempre uma roupinha nova,  dinheiro para comprar merenda na escola e pegar o ônibus sem precisar fazer o trajeto a pé, comer biscoito e tomar iogurte, comprar figurinhas para meu álbum de artistas e encher minha pasta de papel de carta.
Eu nunca precisei sair da escola para trabalhar ou estudar a noite e trabalhar de dia. Com seu dinheiro pingado, minha mãe me garantiu uma boa qualidade de vida e em troca, eu fazia todo o serviço da casa.
Era ótima aluna e não lhe trazia qualquer aborrecimento. Eu tinha toda a liberdade de sair para as noitadas e dormir fora, mas nunca abusei. Nunca fumei, nem bebi e usar drogas nem pensar. Também nunca lhe trouxe problemas por conta de namorados.
Eu tenho duas conhecidas de 20 anos, uma tem 3 filhos e a outra um. E vivem dizendo que se pudessem voltar a atrás fariam diferente, se tivessem a cabeça que tem hoje, se fossem mais jovem agora...
Mas elas só tem 20 anos!!! Agora que deveriam estar começando a vida e já acham que viveram tanto e pior erradamente. Se arrependem de tudo que fizeram ou deixaram de fazer, dos filhos não planejados, dos estudos inacabados.  Em agosto eu farei 35 anos e me sinto muito bem. Não me sinto cansada, nem com o peso do mundo nas costas, ou achando que tudo que fiz foi errado.
Na verdade me sinto bem jovenzinha, cheia de frescor e vontade de viver.Eu optei por não fazer algumas coisas e elas jamais me fizeram falta. Eu não quis ser adolescente rebelde e hoje acredito que colho os frutos por isso. 
 Foi bom para os meus pais, que nunca ficaram de cabelos em pé comigo e melhor ainda para mim. Aproveitei tudo de bom que a fase jovem tem a oferecer, a vida despreocupada e cheia de sonhos. Os amores platônicos. As baladas regadas a  refrigerante. Os romances de Júlia, Sabrina e Bianca. As primeiras descobertas. As primeiras decepções.
Sim, eu fui jovem.

7 de abr de 2011

Meu pai

Meu faleceu no 2004 e sempre sonho com ele. Não posso afirmar com toda sinceridade que para mim ele foi meu herói e todas vezes que falo dele, só inumero seus defeitos. Herói para mim é minha mãe, que suportou maus tratos e infidelidade e mesmo assim ficou com ele até o fim.
Ela sempre me contou que casou com meu pai por pena e que ele era um pobre coitado sem família. Para minha mãe, era seu destino dar uma vida digna ao meu pai. Ela o considerava seu carma. A cruz que lhe foi  destinada carregar. E ela o fez  por quase trinta anos, aceitando coisas que para mim seriam inimagináveis. Uma das histórias que mais me marcaram foi quando eu nasci. 
Em primeiro lugar eu não fui desejada, meu irmão ainda era recém-nascido quando fui concebida, nasceu doente e meu pai era alcoólatra e desempregado. Por tudo isso, eu só vim ao mundo por pura teimosia, mas sem ressentimentos. 
Com poucos dias de nascida, meu pai quebrou o braço da minha mãe e lhe disse que se não estivesse quebrado, no dia seguinte quebraria o outro.
Meu pai foi um péssimo marido. Era boêmio, saia todos os finais de semana para dançar e deixava minha mãe em casa com os filhos. Era infiel. Era sovino. Era violento. 
Mas não era um mau pai. Hoje vejo isso e preciso que ele saiba. Nos meus sonhos ele nunca esta em paz. Eu já disse que não sou uma pessoa espiritualizada, mas sinto que ele quer a minha admiração.
amiga da família, eu (fazendo aniversário de 7 anos ) e meu pai

Meu pai teve uma infância dura, perdeu os pais muito cedo e viveu da caridade alheia. Era um homem embrutecido, mas a seu modo me deu o seu melhor. Eu sempre fui sua princesinha e ele sempre  me cubriu de admiração. Todas as vezes que me via arrumada, não se cabia de orgulho. Sempre confiou em mim para administrar seu dinheiro. Sempre me permitiu fazer o que eu quis, como dormir na casa de amigas e sair para baladas. Me negava dinheiro mais depois se arrependia e voltava atrás. E o mais importante me respeitava. E hoje eu o respeito também. Não virou santo por que morreu e sei de cada uma das suas falhas. Mas ele também acertou muito.
Obrigada pai, segui seu conselho e hoje sou uma pessoa muito feliz por isso:
Minha filha, quero que se casa com um homem bom e honesto.

3 de abr de 2011

Certas coisas que eu não faço...MAS DEVERIA!

Com um certo desconforto, parei para analisar meu comportamento e me deparei com várias coisinhas que preciso corrigir. E  quanto mais pensava, mais a listinha crescia...
Eu raramente vou ao médico. Mas deveria: tenho rinite, que já esta evoluindo para sinusite e não procuro um médico. E pior, me automedico.Antes a alergia só atacava no inverno ou com mudanças de tempo, agora tenho os sintomas diariamente. Também sinto cansaço nas pernas, dores nas costas...



Eu não dirijo ou quase não dirijo. Sou habilitada há anos, mas taí uma coisa que detesto fazer. Prefiro carregar sacolas pesadas e eu carrego muitas, a pegar o carro, o que facilitaria em muito a minha vida.
Eu não uso cinto de seguranças. Mas CLARO, deveria. Só me lembro de usar quando estou em rodovias de velocidade, como se o uso do cinto não fosse obrigatório toda vez que sem ande de carro.

Eu não me alimento como deveria. Troco qualquer fruta por guloseimas e biscoitos e ultimamente sinto uma queda irresistível pelo recheado de morango da piraquê, mas já tive a fase do trakinas de chocolate. Também sou alucinada por bolos e como meu trabalho é fazê-los já viu...


Eu não gosto de me exercitar. Mas deveria, é mais do que lógico. Há mais de um ano comprei roupas para entrar na academia, que nunca saíram do armário. Nem andar a pé eu gosto. Brevemente completarei 35 anos e corpinho implora uma vida menos sedentária.

Eu não sou muito família. Tenho tias, primas e primos, mas não procuro ninguém. É como se minha família se resumisse a minha mãe, meu irmão e meu marido.

Eu não sou uma tia presente.  Raramente as vejo ( meu irmão esta em outro relacionamento) e só ligo no aniversário.
Eu não cultivo as amizades. Tenho uma amiga de muitos anos e outros mais recentes, mas a maioria se perdeu pela estrada. Depois de alguns anos deixo de entrar em contato e o relacionamento esfria, até desaparecer.
Eu não sou ecologicamente correta. Faço uso de sacolas plásticas, poderia reaproveitar  melhor a água, a coleta seletiva também esta mais para lá do que para cá...

Eu não sou religiosa.  Sou totalmente desapegada de religião ou ritos. Não faço simpatias, rezo só às vezes, não leio a bíblia. Só acredito em Deus. PONTO. Minha mãe já não sabe o que fazer comigo.

 Eu não tenho vida social. Pelo menos não muita. Trabalho de terça a domingo, de dez a doze horas por dia e dificilmente posso comparecer a algum evento. Principalmente se for se for no final de semana, dias de maior movimento no meu comércio. Ou então fico cansada demais para conseguir pensar em outra coisa que não seja dormir.
Tento ser uma pessoa melhor a cada dia, mas como podem perceber, tenho um longo caminho a percorrer...Mas estou decida a enfrentar meus medos, zelar mais pela saúde e segurança e cultivar melhor as pessoas queridas.

30 de mar de 2011

E o Oscar vai para...

Editado


Categoria melhor blog:
Um pouco de mim


Categoria melhor blog estrangeiro:
Compartilhando idéias com uma mulher de 30 e poucos...


Categoria melhor blog coadjuvante:
Muitas coisas por aí


Categoria melhor blogueiro:
Carla Farinazzi


Categoria melhor layot:
 Pequenos Barulhos Internos
 

Em primeiro lugar parabéns a todos os ganhadores do "Oscar", vocês passam a representar todos os meus queridos seguidores. Pessoas que eu aprendi a gostar e respeitar e que eu prezo muito a opinião. O blog passou a ser meu porto seguro, lugar de desabafos e aprendizados, que me acalmam e me colocam no eixo.
Em segundo lugar agradecer a participação de todos que votaram e gostaram da brincadeira, ainda bem que eu mudei a idéia original de eu mesma indicar os escolhidos e assim pude conhecer tantas pessoas novas.
E em terceiro lugar: conto com um discurso emocionado dos ganhadores, igual assisto na televisão rsrsrs!!!!

Valeu pessoal, vocês são muito importantes para mim.

28 de mar de 2011

Praga urbana: flanelinhas

Alguns posts atrás dirigi minha indignação contra os "pedintes profissionais", hoje vou me dirigir aos flanelinhas. Aqui no Rio esse nome é dado aos "guardares de automovéis" e não sei se nas outras cidades eles recebem a mesma denominação. Independente do nome, o fato é que todo o espaço urbano esta infestado desta praga, que tomou para si o espaço púlico e nos tornaram refém de uma pretensa segurança.
Eles prestam um "serviço" totalmente desnecessário e duvidoso e não vejo a mínima preocupação por parte dos órgãos compententes em acabar com esta farra. Inclusive no último final de semana meu marido estacionou numa rua próximo a uma loja, bem ao lado de um carro escrito VISCALIZAÇÃO DE TRÂNSITO, em que guarda e flanelinha conviviam numa boa.
Que raiva me dá quando nos aproximamos da onde queremos estacionar e lá esta aquele bracinho sinalizando a vaga!!! Esta tudo dominado!!! 

Raiva maior senti quando deixei de comparacer a uma festa de casamento, justamente por causa dos dito cujo. Depois de uma produção super elaborada, meu marido e eu fomos assistir ao casamento de um amigo dele. A porta da Igreja estava infestada de flanelinhas e perdemos alguns reais para ter o carro "seguro", enquanto assistíamos a cerimônia. Rumamos para o salão de festas e mais flanelinhas nos aguardavam. Pagamos e entramos. Ops, salão errado!  Depois de muita procura encontramos o salão e quem nos aguardavam, todos sorridentes, agitando os bracinhos? Meu marido ficou tão enfurecido que quase jogou o carro em cima deles. Estava transtornado e perdeu todo o gosto pela festa.

Voltamos para a casa, eu numa infelicidade só. Tanto capricho, compras parceladas rsrsrs e nada de festa!
Na minha cidade os flanelinhas não costumam pegar o dinheiro adiantado, então meu marido entra no carro e sai sem  pagar pelo "serviço".
E vocês, como se comportam?

24 de mar de 2011

A invasão dos seguidores

 EDITADO
Misericórdia, quanta gente nova e de uma só vez! Quero agradecer em primeiro lugar a Elaine Gaspareto, a grande responsável pelo boom do blog e também aos novos seguidores. Espero que vocês se sintam bem a vontade aqui e que juntos possamos compartilhar todo tipo de coisas.
Aos pouquinhos vou atualizando as visitas nos novos blogs e já pedi ao maridão que antecipe meu presente de aniversário. Quero e preciso muuuito de um netbook, pois a cada dia minhas postagens ficam mais distantes. O computador que uso é compartilhado por outras pessoas e por isso fica difícil manter a regularidade.
Gosto de me dedicar ao blog e retribuir TODAS as visitas e novas atualizações dos blogs que sigo e sem um computador pessoal ando perdendo muita coisa boa.
Para os novos no pedaço, gosto muito de escrever sobre relacionamento, comportamento e cotidiano e espero sinceramento que os que o trouxe aqui, os façam ficar.
Aproveitando este gancho, se por acaso eu visitar algum blog e não segui-lo de imediato, espero que a pessoa não se ofenda. As vezes demoro um pouco a me decidar, mas quando faço a escolha a minha presença é garantida. Todos temos mais afinidades com um tema ou outro e os meus são os citados acima. Mas isso não impede a interação, ou que eu sempre retribuía com muito carinho, todos que se dedicam a ler meus posts.
Muito obrigado a todos,
um grande beijo.

22 de mar de 2011

Verdade X transparência

Hoje estava no salão dando um tapa no visual e aproveitei para colocar a leitura em dia. Salões de cabelo sempre tem revistas à diposição, mesmo que as edições sejam atrasadas e como tratar do meu cabelinho requer muuuito tempo, me pus a foliar as revistas a disposição. Só para terem noção, cheguei as 09:00h e saí as 13:00h. Linda, lisa e com cabelos esvoaçantes. Bendito alisamento definitivo!!!
Papo sério agora, achei uma matéria super interessante, sobre a diferença entre ser uma pessoa verdadeira e ser uma pessoa transparente, escrita pela psicanilista Rosa Avello.
Segunda ela, ser transparente significa ter ações desprovidas de motivos sombrios, livres de rabugices, implicância, maus humores, culpas, recalques e rancores.
E muitas vezes quando somos verdadeiros, nossas ações não são norteadas por sentimentos nobres e sim tem como objetivo ferir, magoar e constranger. Sabem aquelas pessoas que vivem alardeando serem verdadeiras, mas no fundo o que querem é usar a "verdade" para infligir sentimentos negativos?
 Usam o seu calcanhar de aquiles para te fazer sofrer? Neste sentindo, 
ser verdadeiro não é ser transparente, pois ser transparente não é dizer o que carregamos no coração.
É não ter no coração o que não possa ser dito.


Adorei esta colocação da autora, existem muitas pessoas mesquinhas que adotam uma filosofia de pseudo-verdadade. A próxima vez que alguém lhe disser que é verdadeiro - olhe direto nos seus olhos e busque a tranparência.

17 de mar de 2011

Pão com mortadela

Eu adoro o gostinho de pão com mortadela. Para mim esse simplório sanduiche tem um sabor inigualável e mais pelas lembranças, do que pelo gosto em si. Durante o período da faculdade, em que estudei de 2003 a 2007, o lanche mais degustado pelos estudantes, era o pão com mortadela, da padaria da esquina. Era bom,barato e saciava.


Esta fase da minha vida foi muito intensa e guardo recordações tanto alegres quanto tristes. Eu já ingressei na faculdade bem velhinha e aos 27 anos, era uma das mais velhas da turma. Isso não me impediu de viver novas experiências, como jogar sinuca e dançar forró num botequim de 5° categoria, ou brincar de salada mista só para ficar com um cara da turma. Eu nunca havia namorado durante o período da escola e comecei a assistir aula de mãos dadas, como uma colegial inexperiente.
Fiz ótimas amizades que permanecem até hoje, terminei um sólido relacionamento de 4 anos e me joguei nos braços de um amor impossível. Fui feliz e fiz algumas pessoas sofrerem, me joguei de cabeça e quebrei a cara, tudo regado a muito pão com mortadela.
Tive um amor rompido, um amor inocente e um amor indencente.
Eu sempre vive lentamente, mas os anos do pão com mortadela foram vividos velozmente. Foi o período da minha vida que mais  me senti atraente e sedutora e capaz de fazer loucuras.
Fiz algumas bobagens que poderia ter evitado, mas não me arrependo. 


"É melhor arrepender-se por ter feito alguma coisa, do que por não ter feito nada" - Gionanni Boccaccio

11 de mar de 2011

Iniciada a votação para a escolha do Oscar de melhores blogueiros

Oi pessoas queridas, os problemas técnicos para a votação dos melhores blogueiros do ano já foram resolvidos e graças a querida Tuka Siqueira - Ktralhas. Eu não estou bem emocionalmente e a Tuka prontamente aceitou me ajudar.


Agradeço também a Elaine Gaspareto - Um pouco de mim, que me ensinou o passo a passo para fazer a enquente, não vai faltar oportunidade para eu colocar em prática. Aliás, para quem não conheçe o blog da Elaine, não deixe de conferir, ela é o que eu chamo de personal style blogger, manja tudo de bloguesfera.
Aproveitando que estou falando sobre a  Tuka, vou revelar um pequeno segredo: Tuka, lembra daquela postagem que você fez sobre não se reconhecer no espelho? Que tudo que lhe era familiar eram seus olhos, pois seu corpo não parecia mais ser o seu?
Fiquei tão tocada com a situação, que escrevi para o programa Mais você, da Ana Maria Braga. Me lembrei que você comentou que tentava dar uns “toques” no seu marido, mas ele não entendia, então pensei:  por que não? Infelizmente o e-mail que enviei não foi selecionado (snif, snif) e o tapa no visual terá que esperar mais um pouco.
Voltando ao Oscar, não deixem de votar, é uma brincadeira, não vale dinheiro e o troféu será virtual, mas a idéia foi retribuir o carinho que tenho recebido de todos vocês.
A lista está  bem aí lado e quem quiser, pode deixar sugestão de novos blogs para participar.
Para saber mais: 

Oscar de melhores blogueiros do ano

(EDITADO em 11/03/2011)
Numa noite de insônia, (acontece com mais freqüência do que eu gostaria), tive a idéia de render uma singela homenagem aos meus seguidores e como recentemente foi a entrega do Oscar do cinema, pensei em fazer um releitura da badalada premiação e conto com todos vocês para me ajudarem a escolher Os melhores blogueiros do ano. 

A seguir, a lista dos indicados a cada categoria, seguindo um rigoroso critério de avaliação, digno da grandeza desta premiação:
Melhor blog – blogs de conteúdo relevante.

Melhor blog estrangeiro – blogs de brasileiros que residem fora do país e que nos enriquecem com novas culturas e experiências.
Caixinha da Adri  (Grécia)
Chuchulices (Alemanha)

Melhor blog coadjuvante – blogs com até 50 seguidores ( o objetivo é reconhecer o trabalho das blogueiras consideradas “iniciantes”).

Melhor  blogueiro – blogueiros que contribuem para enriquecer o universo da blogsfera, seja através de postagem, comentários, dedicação, empatia, comprometimento...

Melhor Figurino layot -

Vamos começar a brincadeira? Peraí, só temos um probleminha: até hoje não entendo quase nada das ferramentas do blogger e conto com vocês para me ajudarem a estabelecer como será feito o sistema de votação. O primeiro que me ajudar ganhará um doce!!!

========

Resolvida a questão da criação da enquete. Está aí ao lado e já podem começar a votar. Se tiverem mais sugestões de blogs para entrar na disputa, deixem a dica nos comentários, ainda dá tempo!

2 de mar de 2011

Ensinando a pescar


Como todas as pessoas, eu tenho qualidades boas e ruins e graças a Deus as boas prevaleceram. Se eu puder ajudar uma pessoa pode ter certeza que eu farei, mas se for para atrasar não conte comigo. Me sinto bem sendo útil para as outras pessoas e acho que isso se deve a minha herança materna. Minha sempre foi e ainda é uma figura super prestativa e desde pequena me lembro que quando ela não podia ajudar alguém, me mandava no lugar dela. Meu irmão também não escapou da sina e ainda hoje, casado e com a próprias obrigações, de vez em quando é recrutado por minha mãe para auxiliar alguém.
Não acredito em fazer algo esperando retribuição em troca e quase sempre me esqueço se fui prestativa com alguém. Só faço o que acredito que tem que ser feito.
Ultimamente tenho acompanhado de perto o drama de uma conhecida, que ganhou bebê a poucos meses e tem passado por sérias dificuldades financeiras. O casal não se planejou e a criança nasceu num momento em que o pai ganha pouco e a mãe não trabalha.
Diariamente ouço minha conhecida reclamar da vida, pois não sobra dinheiro para comprar nem uma bala. E como ela não pensa em trabalhar enquanto a criança ainda é tão pequena, a situação só tende a piorar.
Só reclamar não adianta nada e não fará o dinheiro cair do céu, então o único jeito era arrumar um trabalho que ela pudesse fazer em casa aproveitando algum conhecimento que ela já tivesse, que no caso era fazer sombrancelhas. E para incrementar, limpeza de pele. Dei a idéia e ela gostou. Modéstia parte sou boa para ter idéias. rsrsrs.
Já colocamos o negócio em prática e aos pouquinhos as clientes vão aparecendo. Ajudei no que pude e agora é com ela.

O bom seria que eles tivessem se planejado melhor, pois um momento tão especial quanto a vinda de uma criança, requer um ambiente tranquilidade. E não há nada pior do que a falta de dinheiro, para tirar a paz de um casal. Mas como isto não ocorreu, agora não adianta chorar sobre o leite derramado.

26 de fev de 2011

Profissão: pedinte

Faz tempo que eu não posto num dia de sábado, mas hoje arrumei um tempinho, por que estava precisando muuuuito desabafar.Hoje foi a gota d'água! Durante toda a semana várias pessoas me pedinharam dinheiro emprestado ou dado, algumas eram conhecidas, outras clientes, algumas se passando por entidade social e até mesmo idosos querendo dinheiro da passagem.
Sei que a situação não esta fácil para ninguém, mas creio que muitos se aproveitam da piedade alheia, tranformando-se em verdadeiros pedintes profissional.
Como tenho um pequeno comércio e ele é bem pequeno mesmo é comum alguns vizinhos acharem que estou nadando em dinheiro e não se constrangem em pedir um dinheirinho emprestado.

Tenho recebido também visitas de supostas pessoas que arrecadam dinheiro para ajudar doentes e crianças carentes, pedindo alimentos ou qualquer quantia em dinheiro.
Hoje fui ao centro da cidade com meu marido e enquanto o aguardava no carro, uma senhora bastante idosa veio até a mim e pediu o dinheiro da passagem. Segundo ela contou, tinha ido trabalhar como passadeira, mas a cliente não estava em casa. Dei o dinheiro, mas não a vi atravessando a rua para pegar o ônibus.
Um pouquinho depois, parados no sinal de trânsito, um senhor se paroximou e pediu dinheiro para também pagar o ônibus.

Eu quase pulei no pescoço do homem!!! De novo!!! Será que tenho cara de banco!?
Cerca de um ano atrás, um homem chegou até o meu comércio muito nervoso, dizendo que a esposa havia ido para o hospital ter o bêbe enquanto ele estava trabalhando e ele não tinha o dinheiro da passagem para ir até o hospital. Trouxe a carteira de trabalho para dar mais veracidade a história e depois fiquei sabendo que ele contou a mesma lorota para a rua inteira. Dias depois foi assassinado, não sei por qual motivo.
Sempre a passagem!!!
E teve ainda a vez que eu estava numa faculdade fazendo um curso e entrou uma mulher contando uma história muito triste, sobre o filho pequeno atropelado e pedindo ajuda para a cirurgia. Logo depois apareceram os seguranças atrás da golpista.
Sinceramente fica difícil avaliar quem precisa e quem esta querendo se dar bem. Só sei que esta semana foram tantas pessoas querendo tirar um dinheirinho de mim, que me tiraram do sério. 
E tem ainda aqueles que querem usar os créditos do seu celular, que faz cara de triste por que não tem um cigarro para fumar ou esta sem um tostão na carteira.
Existe um única solução para isto: TRABALHO. Em qualquer coisa. Eu já vendi mini pizza de porta em porta, empadão, ovo de páscoa e mais inúmeros produtos. E nunca pedi dinheiro para ninguém, muito menos me valendo de falsas histórias. Outra coisa: saiba administrar melhor seu dinheiro, por mais pouqinho que ele seja, ele tem que ser suficiente para suprir suas necessicidades. E por último, aprenda a viver com o que tem.