9 de ago de 2011

Uma questão delicada

Dias desses fui surpreendida por uma situação bastante delicada. Recebi o  convite para ser madrinha de uma criança e não fiquei empolgada com o fato. E agora, como resolver a questão? A mãe chega para você toda feliz e contente e diz que tem algo para lhe falar. Quando soube do que se trata, ao invés de se sentir honrada, o seu único sentimento foi o de pânico.

A primeira vez que fui convidada para ser madrinha eu tinha uns 10 anos e na segunda uns 12. Jovem demais para o tamanho da responsabilidade. Desse tempo para cá, pouco contato tive com meus afilhados, o que me fez jurar jamais aceitar um novo convite. Já relatei aqui a dificuldade que tenho com algumas responsabilidades e o meu obscuro lado egoísta.
A mãe da criança em questão é minha vizinha e cliente e com apenas 21 anos, já tem 3 filhos. A vida familiar é um caos e eu me apavorei em pensar em tomar parte dela. E além disso, falta o essencial entre nós, pelo menos da minha parte: não sinto nenhum envolvimento emocional. Ela é apenas mais uma cliente e é desta forma que pretendo que as coisas continuem.
E daquelas que tem o hábito de pedir as coisa emprestado, desde  dinheiro até o celular, passando pela prancha de cabelo. E tudo isso, sem ter nenhum vínculo afetivo... Imaginem como comadres!!!
Eu sei, eu sei, estou parecendo chata e egoísta, mas as vezes não dá para ser diferente. Prefiro perder a "amizade" agora, mas manter a paz de espírito. Sei que não vou corresponder as expectativas que ela  depositará em mim e da forma mais gentil que consegui, declinei o convite.

 

24 comentários:

  1. Eu faria mesma coisa com que você fez. Não existe aquela intimidade e amizade sincera para isso.

    Mas vou contar o que aconteceu comigo, chorei muito! Tinha uma "amiga" de infância e fomos criadas juntas. Quando ela teve a filha me convidou para ser madrinha de consagração já que a mãe dela queria ser madrinha de batismo. Não me incomodei. Adorei tudo, amava aquele bebê. Então um dia, vim a saber que ela tinha batizado a menina e eu não sabia de nada. Quando a menina já estava grandinha saiu uma conversa e eu perguntei o que tinha acontecido. Ela disse que eu tinha me mudado (estava fazendo minha casa em outro bairro) e por isso ela achou que eu não queria mais ........ A menina sempre me chamou de Dinda e nos adoramos. Mas, final da história: hoje não nos falamos mais, a "amizade" esfriou e a mocinha também não me procura mais .......
    Triste, não é? Vai entender ......
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Eita, situação complicada mesmo, hein?
    Mas acho que você fez o certo, fez o que tinha que fazer!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Paulinha, fiquei curiosa para saber o que você disse a ela para recusar.
    Você fez a coisa certa! Parabéns!
    Bjo!

    ResponderExcluir
  4. Querida, se fosse só a questão do seu 'bloqueio' por não ter muito contato com seus afilhados, eu diria para você aceitar o convite e vê-lo como uma ótima oportunidade para se redimir com você mesma, em relação a essa 'ausência'. MAS, como tem as outras questões que você colocou aqui, acho que sua atitude foi linda e muito verdadeira. Parabéns pela coragem de se respeitar e ser você mesma.
    Agora fiquei curiosa também sobre o que você disse pra ela... e qual é a sua profissão? Beijocas.

    ResponderExcluir
  5. Acredito que padrinhos são pessoas que estarão presentes na educação e criação. já recusei uma vez por saber que não poderia acompanhar o crescimento daquela criança da maneira como gostaria. não me arrependo pois seus padrinhos atuais são mais presentes do que eu.
    Acho essa uma questão muito importante.
    bjuocas
    http://donamaricotafeliz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Paula, você tomou a atitude correta. Padrinhos são "auxiliares" dos pais na educação (principalmente a religiosa) da criança, por isso o mínimo que se espera é que haja afinidade e compatibilidade de opiniões entre pais e padrinhos. Esse me parece um daqueles casos, muito comuns, em que os padrinhos são escolhidos pela sua capacidade de dar bons presentes ao afilhado. Eu também teria recusado.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. encontrei seu blog hoje, comecei a ler, e me senti bastante atraida decidi segui pra nao perder o endereco e acompanhar mais de perto, sou super nova na area da blogsfera ainda vendo um blog como um passa tempo depois que me mudei para Noruega o blog me ocupa, nao que eu nao tenha o que fazer rss eu tenho e muito, mas, ler, pensar e tentar se expressar através disso quando se está longe da patria é mesmo algo mais prazeroso...gostei mesmo blog legal o seu, real puro e simples sem muito trimiliques e riquififis rss prefilo ler coisa mais parecidas com gente humana que consegue passar pra escrita o sabor das coisas, seu blog me passou isso cheguei 3 dias depois do seu niver mas desde já parabéns direto das terra nordicas...felicidades sempre...depois vi sua vizinha sem nocao querendo vc do que vizinha rss madrinha?? é demais né? vc foi sabia e muito verdadeira disse logo um nao....que bom. vou ler mais post passados conhecer melhor e segui daqui pra frente um bs querida. bom dia.

    ResponderExcluir
  8. Olha isso é meio que casar obrigada... rs.

    Creio que não aceitaria. Mas também não tenho experiência no assunto, porque nunca me convidaram para ser madrinha de ninguém. Acho que passo algo muito estranho que faz com que as pessoas achem que não sivo para esse posto... rs. Mas também não sinto falta, pode continuar assim... rs.

    Acho que deveria seguir o que seu coração, sua intuição diz!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  9. PAULA NÃO ACHEI VOCE ERRADA NÃO EU JA FIZ ISSO UMA CERTA VEZ ,MADRINHA PRA MIM É COISA SÉRIA...EU MESMA OS PADRINHOS DOS MEUS FILHOS SÃO MINHA IRMÃ E MINHA MÃE
    AQUI COSTUMAMOS DAR OS FILHOS ENTRE IRMÃS SOBRINHAS,MÃE E PAI...
    SABE DAR UM FILHO PARA ALGUEM BATIZAR É SERIO E UMA CERTA VEZ, UM SENHOR QUE JAMAIS TINHA VISTO A ESPOSA E ELE, TRABALHAVA COM MEU MARIDO EM UMA GRANDE EMPRESA...E A AMIZADE DELES DOIS ERA AQUELAS DE TOMAR CERVEJA DEPOIS DO TRABALHO EU NUNCA TINHA VISTO A ESPOSA DELE..MEU MARIDO CHEGOU E ME DISSE QUE ELE TINHA CONVIDADO PARA SER PADRINHOS NA HORA JA FALEI NÃO VOU...DE UMA DESCULPA POR QUE NÃO EXISTE AMIZADE VÍNCULO NADA ..FOI MEIO CONSTRANGEDOR MEU MARIDO TER QUE DIZER ISSO A ELE ..MAS FOI O QUE FIZEMOS E DEPOIS DE UM TEMPO DESCOBRI QUE A FAMÍLIA TAMBEM DELE ERA COMO ESSA AÍ QUE VOCE DISSE ..EU JAMAIS SABERIA CONVIVER COM ELES E SERIA PÉSSIMO PARA A GAROTINHA QUE NÃO TINHA NADA HAVER COM ISSO ..PELO MENOS NADA HAVER COM A ESCOLHA DO PAI..
    VOCE ESTÁ CERTA ..AS PESSOAS TEM QUE APRENDER A SEREM COERENTES NAS ESCOLHAS ..AGIRIA COMO VOCE MESMO..FOI CERTÍSSIMA...

    BEIJOS QUERIDA

    OTILIA LINS

    ResponderExcluir
  10. E põe complicada nisso, Paulinha.
    Eu no seu lugar não sei o que faria. Com certeza a minha opinião seria u=igual a sua, o problema é q tenho uma dificuldade enorme de dizer não às pessoas (tenho q mudar isso).
    Mas q bom que vc conseguiu contornar a situação da melhor forma possível. Querendo ou não iria ficar um vínculo entre vcs e no futuro as coisas poderiam nem ser tão boas assim.. vai saber neh?!
    Bju grande, querida!!!

    ResponderExcluir
  11. Paula, eu não aceitaria e você fez muito bem em não aceitar! É chato mas é melhor se posicionar logo.
    bjs
    Jussara
    PS: Parabéns pelo aniversário.

    ResponderExcluir
  12. Se era este o seu sentimento, você agiu mais do que certo. Acho que madrinha tem que ser presente, e se não há sentimento não tem porque aceitar. E também acho que deve ter sido bem dificil dizer isso a uma gravidinha, tenho certeza de que você foi sincera e delicada. Se ela ficar chateada por um tempo, normal. Depois passa. M=Admirável a sua posição.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  13. Oi Paulinha...
    Acredito que vc tenha feito a escolha certa, se não existe a afinidade e se vcs não sõ tão próximas, não tem porque aceitar Paulinha...
    Beijossss

    ResponderExcluir
  14. Que saia justa, hein? Mas eu acho que fez bem, assim ela pode convidar alguém mais próximo, o que será bem melhor para o bebê também. ;)

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  15. Paulinha, dá uma olhada no link deste blog.

    Link:
    http://www.chocolatria.com/

    Como você trabalha com doces também, me lembrei de você! Vê lá! Acabei de conhecer também! Bjs

    ResponderExcluir
  16. Complicado isso. Acho mesmo que a melhor solução é falar a verdade. É visível que você não quer ser madrinha dessa criança. Você pode até receber críticas, mas ninguém poderá te acusar por falar a verdade.

    Abraços do Gaúcho.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Paula, que bom que os problema de atualização lá Chá se resolveram de finalmente estou conseguindo receber as visitas e os coments de vocês de novo.Quanto ao seu post, eu acho que vc está certíssima, hoje em dia, o povo tem mania de escolher padrinhos com interesses secundários, não pensam mais no significado que tem este ato. Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Paula,
    como diz Paulo Coelho:

    " Diga SIM com alegria. Diga NÃO sem medo. "

    Fez o que seu coração mandou, e aí é que está a chave de tudo!

    Obrigada por passar pelo blog, deixar seu comentário... Ah, como eu ando sumida!
    O encontro foi uma delícia mesmo e matei as lombrigas criadas por 6 anos com aquela bolachinha! Rs...

    Um beijão pra vc!
    Ótima semana!
    ^^

    ResponderExcluir
  19. Confusão por causa de um pinto pequeno? Imagine se fosse grande, que baita confusão!

    kkkk

    Abraços,

    ResponderExcluir
  20. Ainda bem que não estou sozinho nesse mundo. No meu caso recusei dois convites para ser padrinho de casamento, entrei em pânico quando recebi os convites de minha prima e de um amigo ano pasado. Complicado viu! Até hoje isso me marca.

    ResponderExcluir
  21. Ainda bem que não estou sozinho nesse mundo. No meu caso recusei dois convites para ser padrinho de casamento, entrei em pânico quando recebi os convites de minha prima e de um amigo ano pasado. Complicado viu! Até hoje isso me marca.

    ResponderExcluir
  22. Hoje nem pode ser madrinha uma pessoa tão jovem... Imagina 10/12 anos! Não tem nem responsabilidade direito! Ser madrinha acredito eu, é ser presente.

    ResponderExcluir
  23. fui convidada para ser madrinha por obrigação.a mae da criança nao queria o pai que insistiu.agora sofro por nao participar da vida do meu afilhado direito pois a mae dele me deixa afastada de tudo,ele tem 8 meses e nunca veio a minha casa.sofro por demais se eu soubesse que ia ser assim eu tinha negado o convite.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Ficarei muito feliz se quiser deixar seu comentário.