23 de nov de 2010

A importância da sogra na vida do casal

Quando você se apaixona por uma pessoa e decide dividir a vida com ela, precisa estar ciente que além da presença do marido ou esposa, outra figura fará parte constante do seu relacionamento: a sogra. Consagrada em músicas divertidas e sempre perjorativas, a sogra ficou eternizada como inconveniente, intrometida, rabugente, folgada e xereta ou seja, a verdadeira "mala" que inferniza a vida dos jovens casais, querendo saber de tudo e fazendo intrigas sobre o marido da filha ou a esposa do filho.

"Sequestraram minha sogra, bem feito pro sequestrador
Ao invés de pagar o resgate, foi ele quem me pagou
Ele pagou o preço da mala que ele que ele carregou
Ele pagou a paga da praga que ele sequestrou
Ele pagou a mala sem alça que ele levou
Ele pagou a paga da praga que ele levou..."
Bezerra da Silva
E na vida real, não é incomum ouvirmos alguém relatar problemas com a sogra, tudo por considerar que a criatura se intromete demais aonde não é chamada. Agora pensando racionalmente sobre a situação, o que muitos veem como intromissão, pode ser simples cuidado ou cuidado exagerado.
A sogra, no papel de mãe zeloza, quer ensinar a nora como cuidar do filho que por tanto tempo dependeu dos seus cuidados ou então faz questão de estar presente na filha da filha, para saber se o marido esta cuidando bem de sua princezinha e que nada irá lhe faltar.
Mas os conselhos e a presença constante quase sempre não são bem vistos, gerando uma série de mal estar, que pode acarretar sérios danos ao relacionamento. Conheço sogras que só podem entrar na casa da filha quando o genro não esta ou  noras que não permitem qualquer conselho sobre a educação dos filhos.
Assim, excluem totalmente as sogras do convívio familiar e preferem ter uma inimiga do que uma aliada.
Eu não tenho sogra, mas no início do meu relacionamento as coisas não foram fáceis e digo com sinceridade que se não fosse por interferência da minha mãe, talvez não estivêssemos mais juntos.
Ela sempre deixou claro para meu marido que iria ficar de olho nas suas atitudes e que esperava que ele me tratasse muito bem. Foi hilário ela dizendo para ele que eu estava acostumada a comer bem e fazer escova no cabelo toda semana. O que poderia ser visto logo de cara como abuso e intromissão, ele levou na esportiva e entendeu que ela estava apenas tentando se certificar que eu seria bem cuidada.
Ele a respeita e a entende e ela sabe que também tem seus limites. E se eu vejo que ela esta demais, sou a primeira a puxar o freio. 
E foi ela a responsável por apagar nossos incêndios, quando várias vezes chegamos a pensar em separação. Com experiência de quem ficou 30 anos casada com um homem alcoolátra e mulherendo, ela nos fez ver que nossos pequenos problemas conjugais não eram nada impossíveis de serem resolvidos.
Com carinho e paciência, mas também com vigor, ela nos fazia sentar juntos ou separados e fazia a "acariação". Sempre deu certo e sou grata a ela pela "intromissão", pois sempre foi para a nosso bem, pensando na nossa felicidade e no nosso bem-estar.
E fico feliz por meu marido compreender e não se ressentir. Na verdade os dois se adoram e se respeitam muito e não consigo imaginar minha mãe não podendo frequenter a minha casa ou vice-versa.
E não estou querendo fazer apologia a intromissão de sogras ou demais pessoas dentro de um relacionamento ou que corro para a mamãe para contar tudo que acontece na minha vida, mas refletindo sobre a importância de contar com a experiência de alguém mais velho e também do respeito que devemos ter a essas pessoas. Viver em harmonia com a mãe do seu marido ou com a mãe da sua esposa, pode ser um diferencial importante na vida de um casal.

9 comentários:

  1. Existem sogras e sogras. A minha é muito querida e nos ajuda muito, mas tem dias que tenho vontade de enforcá-la. Mães são assim mesmo, zelam demais pelos seus filhos, tanto que às vezes até atrapalham.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Paula, conheci seu blog essa semana e fiquei horas lendo seus textos e refletindo sobre tantas coisas. Voce está de parabéns!!
    Conheço sogras e sogras... lembro da mae de um ex-namorado que era "muito presente e controladora" e eu acho que enlouqueceria se ela fosse minha sogra de verdade...rsrs...
    Mas posso falar de boca cheia que a mae do meu marido é uma flor. É super discreta e respeita muito nosso espaço. Acho que isso é muito importante para o relacionamento de qualquer casal. Um abraço forte para voce!!
    Judite

    ResponderExcluir
  3. Hey Paulinha!
    Eu não sou casada mas concordo com tudo que vc falou! Acho que o relacionamento familiar é super importante e minha ãe se dá muito bem com minhas quatro cunhadas! Mas ela é uma sogra especial!
    E não se intromete nunca!
    beijocas,
    Mari

    ResponderExcluir
  4. Querida Paula,
    que divertido e bem colocado, adoramos!
    bjs
    com carinho
    Lulu & Sol

    ResponderExcluir
  5. Olá, Paula,

    Gostei muito desse post. Tenho um exemplo assim, que permeou minha vida, e me foi dado pelo meu pai. Aliás, esse texto poderia ter sido escrito pelo meu pai, com relação à mãe da minha mãe, a sogra dele.
    Ele era completamente apaixonado por ela. Aprendeu muito com ela.

    Aliás, no post que eu falei sobre ele (meu pai), ele respondeu falando dessa minha avó, sua sogra. Ele realmente a amou muito.
    Ela era meio parecida com a sua mãe.

    Beijos

    Carla

    ResponderExcluir
  6. Paulinha querida!

    Eu achei o máximo você tocar nesse assunto.
    Eu e o meu marido vamos morar junto com a mãe dele (que eu adoro!!!!). Ela me chama de filhota e ele de filhote!

    Acredito que ela será minha companheirinha, aquela com quem poderei contar quando tiver meu primeiro filho; que poderá me dar conselhos (pessoas de mais idade tem muita experiência de vida) e me ajudar sempre que precisar.

    Eu também pretendo ser uma nora-filha.
    Ela nunca teve uma menina, por isso seu chamego todo comigo. Ela é muito carinhosa e nos damos muito bem.
    Quero ser como uma filha. Fazer companhia, passear, dar broncas em "dupla" no meu marido (kkkkkkk), etc...

    Mas, com tanta boa intenção da minha parte e da dela, vamos ver como será convivendo sob o mesmo teto não é mesmo Paulinha?
    Afinal, ela é mãe dele!

    Um beijo linda.
    Ameeeeeei este post!
    ;)

    ResponderExcluir
  7. Para mim sogra deve ser igual a planta: pode estar presente e ver tudo mas não tem que dizer nada.

    Sogra e sogro não podem e não devem interferir na vida de um casal sem serem chamados.

    Tem sogros com os quais podemos conversar sem que ele ou ela se sinta no direito de interferir em sua vida. Isso é uma coisa.

    Outra coisa é querer mediar quando não for chamado, querer comentar aquilo que não conhece porque não vivencia no mesmo quarto a vida conjugal.

    Minha sogra é ótima. A adoro por ser, exatamente, como eu acho que deve ser. Uma amiga, uma aliada, uma pessoa semore disposta a ajudar mas que nunca pensa que, por conta disso, deve se intrometer nos nossos assuntos conjugais.

    Se um dia eu me separar da minha mulher, casarei com a minha sogra...kkkkk

    ResponderExcluir
  8. nao aguento mais a vaca da minha sogra!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Realmente existem sogras e sogras.
    Ainda bem que sua mãe soube "se intrometer" no momento certo.
    Acho que sogra de genro é mais fácil de lidar do que sogra de noras, pois muita vêem a nora como uma competidora direta e vice-versa.
    Gostei do Blog, visite o nosso tbm: http://casadaspitaqueiras.wordpress.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Ficarei muito feliz se quiser deixar seu comentário.