5 de out de 2010

Verdades e mentiras

Ontem a noite estava zapeando os canais de Tv a cabo, quando me deparei com o filme Dúvida. Já havia assitido em DVD, mas meu marido não e apesar do filme já estar quase terminando ele se propôs a assitir e acabou comparando com a história do filtro triplo, o que me deu a idéia de escrever este post, já que infelizmente muitas vezes somos vítimas ou protagonistas de inverdades.

Sinopse do filme:  O ano é 1964 e o cenário é a escola St. Nicholas, no Bronx. O vibrante e carismático padre Flynn (Philip Seymour Hoffman), vem tentando acabar com os rígidos costumes da escola, que há muito são guardados e seguidos ferozmente pela irmã Aloysius Beauvier (Meryl Streep), a diretora com mãos de aço que acredita no poder do medo e da disciplina. Os ventos das mudanças políticas sopram pela comunidade e, de fato, a escola acaba de aceitar seu primeiro aluno negro, Donald Miller. Mas quando a irmã James (Amy Adams), uma freira inocente e esperançosa conta à irmã Aloysius sobre sua suspeita, induzida pela culpa, de que o padre Flynn está dando atenção exagerada a Donald, a irmã Aloysius se vê motivada a empreender uma cruzada para descobrir a verdade e banir o padre da escola. Agora, sem nenhuma prova ou evidência, exceto sua certeza moral, a irmã Aloysius trava uma batalha de determinação com o padre Flynn, uma batalha que ameaça dividir a Igreja e a escola com consequências devastadoras.
O título do livro é totalmente pertinente a história, e todo o seu desenrolar, basea-se apenas na dúvida da rigorosa freira e diretora da escola e para o telespectador fica também a dúvida: o padre estava ou não assediando o menino? Neste caso, cabe o julgamento de cada um. Trazendo para a vida real, muitas vezes também não levantamos dúvidas e julgamos sem ter certeza?
Outro dia uma conhecida não achava sua máquina fotógrafica e como recebeu uma visita, a dúvida logo recaiu sobre a pessoa. Dias depois ela achou a máquina dentro de casa e ficou constrangida de ter semeado a dúvida.
Neste momento não lembro de já ter feito alguma acusação infundada, mas ajudar a espalhar um boato, quem nunca fez? Por mais que nos policiamos, muitas vezes perdemos o discernimento e quando vemos, lá estamos ajundando a espalhar uma fofoca. Essas atitudes, que podem parecer inofensivas, podem ter graves consequências e a história do Teste do Filtro Triplo pode ser um grande aliado na hora de decidir o que devemos passar a diante ou não.
Teste do Filtro Triplo (Sócrates)

Na Grécia Antiga, Sócrates detinha uma alta reputação e era muito estimado pelo seu elevado conhecimento.
Um dia, um conhecido do grande filósofo aproximou-se dele e disse:
- Sócrates, sabe o que eu acabei de ouvir acerca daquele teu amigo?
Então, Sócrates respondeu:
- Espere um momento. Antes que me digas alguma coisa, gostaria de te fazer um teste. Chama-se o "Teste do Filtro Triplo".
- O que e isso, Sócrates?
- Antes que me fales do meu amigo, talvez fosse uma boa idéia parar um momento e filtrar muito bem aquilo que vais dizer. A isso chamo de Filtro Triplo.
E continuou: - O primeiro filtro é a VERDADE. Tens a certeza absoluta de que aquilo que me vais dizer é perfeitamente verdadeiro?
O homem, balbuciante, respondeu:
- Não; o que acontece é que eu ouvi dizer que...
E Sócrates fuzilou:
- Bem, se é assim, não sabes se é VERDADE. Passemos então ao segundo filtro, que é a BONDADE. Responda-me agora: o que me vais dizer sobre o meu amigo é algo bom?
- Não, muito pelo contrário...
- Então, queres dizer-me algo mau sobre ele e, ainda por cima, nem sabes se é ou não verdadeiro. Mas, bem, pode ser que ainda passes pelo terceiro filtro, que é a UTILIDADE. Por isso, me esclareça: o que me vais dizer sobre o meu amigo será útil para mim?
- Não, acho que não...
E assim Sócrates concluiu:
- Bem, se o que me dirás não é nem bom, nem útil e muito menos verdadeiro, para que dizer-me?

No próximo post, contarei a minha experiência pessoal com uma fofoca e o constrangimento que sinto até hoje quando me lembro. FOFOCA NUNCA mais!!!
     

5 comentários:

  1. Parece m filme legal, eu nunca assisti!!
    beijuuu
    www.sermulhereomaximo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Paulinha!!!
    Quanto ao filme, já está na minha listinha amiga!!! Obrigada pela dica.
    Quanto ao filtro triplo, achei o máximo. Nunca tinha lido.
    Claro que odeio fofoca, mas os comentários..... ah os comentários.... sempre existem.
    Se todos se policiassem mais seria tão bom, tanto para quem escuta, até para quem fala.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Paula querida, conhecia a história de Sócrates, grande pensador e não é à toa que até hoje tudo que ensinou se propaga...
    Amei o filme, assisti no cinema e me lembro de ter chorado muito junto com a Merryl Streep!
    Realmente todos devemos pensar muito antes de falar é por isso que temos dois ouvidos e uma boca só!!!! beijocas,
    Mari

    ResponderExcluir
  4. Eu já conhecia o filtro triplo, um amigo me contou essa história um tempo atrás. Fofoca é cruel. Já fui vítima da lingua maldosa de pessoas que nem me conheciam pra falar! E já fui vítima de gente q jurava me amar tbem... Fofoca mata...
    Amei seu psot Paulinha! E, ah, quero pedir desculpas pela falta de comentários no seu blog flor, mas como vc não deixa o seu link nos posts e eu tinha perdido o seu link, não conseguia vir aqui =( Agora está resgatado e guardado ;)
    Beijão, boa semana =*

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Ficarei muito feliz se quiser deixar seu comentário.