7 de out de 2010

Histórias de vida - adoção

Olá meninas, ontem eu fui comprar peixe para o almoço e acabei realizando um sonho e ao mesmo tempo conhecendo uma história de vida linda. Na postagem de 1 ano da casa de lanches, comentei que meu próximo passo seria vender sorvete self-service e graças a idá a peixaria, vou realizar meu desejo mais rápido do que poderia imaginar. Como assim!? Quando inaugurei a Casa, a grana era super curta e eu comprei várias coisas de segunda mão e me dei mal. Só para terem uma idéia, o frezzer capenga que adquiri, além de gelar pouco, consumia muuuuuuuuuuita energia. Assim, para evitar prejuízos, acabei decretando a sua aposentadoria e parei de vender pícole.
Com a proximidade do verão, precisava urgentemente resolver o problema e eis que o dono da peixaria tinha um frezzer do jeitinho que eu queria para vender e conseguimos fechar negócio. Ele me cobrou R$ 1,000.00 e aceitou parcelar em 3 vezes, se fosse comprar na loja,  seria uns de R$ 2,500.00 e como dei o meu caidinho para ele, o frezzer saiu por R$ 800,00. Amanhã mesmo já vou inaugurá-lo, depois posto a foto da belezinha!!!
Durante a tensa negociação, acabei sabendo mais da vida do peixeiro e me emocionei com os fatos narrados. Ele contou que tinha uma única filha de quase três anos, que havia sido casado por 10 anos, mais a menina era do segundo casamento e adotada.
Segundo ele, uma vez sua irmã, que é agente de saúde, ligou perguntando se eles queriam adotar uma criança e eles prontamente aceitaram. A mãe da minha estava grávida pela terceira vez e não queria a criança de forma alguma.
Ele e a esposa acompanharam a gravidez de perto, preparam o quartinho de rosa e foram para a maternidade receber a criança. Para ele este foi o pior momento, separar mãe e filha e passados alguns anos ele ainda sofria com esta cena. Depois de levada a menina para casa, a mãe se arrependeu e quis a criança de volta. 
Ele achou que ela tinha todo o direito e pediu para a esposa devolver. Assim fizeram e tempos depois viajaram durante 45 dias e quando retornaram lá estava a mãe querendo devolver para eles a criança novamente. Eles aceitaram e tempos depois a mãe se achou no direito de reaver a menina.
 Neste momento, o proceso de guarda já corria na justiça e o juiz foi taxativo: criança não é joguete e decretou a guarda para os pais adotivos.
O dono da peixaria me contou esta história com os olhos brilhando, feliz da vida em ter sua pequena filha junto de si. E já faz planos para adotar novas crianças, pois segundo ele, nunca se viu pai biológico, mas em sonhos, sempre se via adotando uma criança, do jeitinho que aconteceu.
Foi lindo ouvir aquele homem já gasto pela vida, apesar de ter ainda 45 anos, demonstrar tanta docura por amor à uma criança. E abençoada é esta pequena, que encontrou pais genenrosos e que a querem verdadeiramente.
Como a segunda esposa já tinha dois filhos, agora ele é um orgulhoso pai adotivo de três crianças.

4 comentários:

  1. Olá, Paula!

    Bela história de vida que você conheceu. Não sei se concorda comigo, mas as mais belas histórias geralmente vem de repente quando a gente menos imagina. Penso em adotar crianças um dia também. Penso que o laço de amor pode ser mais forte ou tão forte quanto o de sangue.

    E obrigada por postar lá no meu! Conselhos de mulheres inteligentes são sempre bem vindos.
    Te seguindo também.

    Abraço,

    Heitor.

    ResponderExcluir
  2. Paula, parabéns pela nova aquisição. Que traga muito sucesso pra sua loja.
    Essa história é mto linda. E essa semana eu estou mto ligada ao assunto adoção. É que minha irmã quer ter o 2º filho, mas ela é hipertensa. Ela foi a uma médica (mto grossa) que disse que ela não precisava correr riscos já que ela já tem um filho. Achei mto feio da parte dela, já que se minha irmã já estivesse grávida ela teria que dar atendimento a ela. (ou não daria??) Mas, então. Eu fico preocupada por ela ser hipertensa e mesmo com pré-natal direitinho, fico com medo. Andei rezando mto pra que se fosse algum risco pra ela ou pro bebê que Deus colocasse a ideia de adoção na cabeça dela. E no dia seguinte vi na televisão uma matéria sobre adoção e vc hj contando essa história, parece um sinal Dele.
    Beijos e ótimo feriado.
    odesabapho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Hey Paulinha!
    Nossa menina tem umas histórias que nos emocionam mesmo né? Que homem mais lindo!
    beijocas pra vc querida!
    Mari

    ResponderExcluir
  4. Ah menina e parabéns pelo freezer que todos os picolés que vc consiga fazer sejam prontamente vendidos!
    beijocas again!
    Mari

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Ficarei muito feliz se quiser deixar seu comentário.